Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Essa semana, no dia 12 março, os golpistas da ECT (Empresa Brasileira de Correios de Telégrafos) em conluio com o TST (Tribunal Superior do Trabalho) e com a colaboração dos sindicalistas dos Correios ligado ao Bando dos Quatro (PT, PCdoB, PSTU e diretoria do Sintect-MG – LPS) conseguiram desmontar o plano de saúde da categoria.

Em um julgamento (com decisão anunciada com antecedência) dos ministros biônicos e golpistas do TST, o plano de saúde dos trabalhadores dos Correios foi “estuprado”, deixando de ser um benefício, que compensava os baixos salários da categoria, para se transformar em um ônus, com pagamento de mensalidades pelos trabalhadores a ser controlada pela ANS (Agência Nacional de Saúde) que é justamente controlada pelos grandes planos de saúde privado do país.

Esse ataque aos trabalhadores dos Correios, o maior ataque de toda a sua história, aconteceu pelo fato dos sindicalistas do Bando dos Quatro aceitarem que a cláusula desse benefício ficasse fora do acordo coletivo de trabalho, e viesse a ser decidida após a campanha salarial de 2017/2018 pelos golpistas ministros do TST, uma espécie de “cheque em branco” assinado pelos sindicalistas para que esses ministros tomassem a decisão que quisessem sobre o futuro desse benefício.

Com o desmonte do plano de saúde, a direção golpista da ECT conseguiu limpar o terreno do principal obstáculo para prosseguir na privatização dos Correios, que era justamente o gasto que a Empresa tinha de manter esse benefício da categoria.

Segundo o golpista, Guilherme Campos do PSD (Partido Social Democrata), que controla a ECT hoje, o beneficio do plano de saúde dos trabalhadores custava um bilhão e 800 milhões de reais para os cofres da empresa. Com a decisão do julgamento, a ECT diminuirá de imediato 900 milhões com essa despesa, que obviamente não se tem a certeza de que a ECT continuará a bancar os outros 900 milhões restantes, ou provocará a destruição do plano, para que ele se transforme em um plano privado, onde o trabalhador acabará tendo que custeá-lo por completo.

No entanto, uma coisa é certa, com esse enxugamento expressivo dos gastos que a ECT tem com a folha de pagamento de seus funcionários, os Correios que já é uma ambição dos capitalistas do mercado postal, se transformou ainda mais em uma “galinha dos ovos de ouro”, a ser privatizada imediatamente.

Portanto, o desmonte do plano de saúde dos Correios abriu de vez a porteira para a liquidação da ECT como Empresa Pública e demissão de milhares de trabalhadores dos Correios. Os golpistas Michel Temer e Gilberto Kassab do PSD,  Ministro das Ciências, Tecnologias, Inovações e Comunicações já anunciaram no maior cinismo, de que a redução dos gastos com  o desmonte do plano de saúde não ajuda a ECT se recuperar, que é necessário discutir a privatização desse patrimônio do povo brasileiro.

É necessário mobilizar a categoria contra esses golpistas e junto com as demais categorias de trabalhadores de outras estatais que estão sob ataque dos golpistas, como os petroleiros, eletricitários, bancários etc, realizar a luta contra o golpe de Estado no país e todas as medidas golpistas que visam acabar com o patrimônio nacional brasileiro.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas