Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Os sindicalistas dos Correios, ligado ao Bando dos Quatro (PT, PCdoB, PSTU e diretoria do Sintect-MG – LPS) podem ser considerados os maiores responsáveis pela destruição do plano de saúde da categoria, que essa semana (dia 12 de março), através de decisão no TST (Tribunal Superior do Trabalho) terá pagamento de mensalidades pelos trabalhadores.

Significa que os trabalhadores dos Correios, que por meio da luta possuía o benefício do plano de saúde, totalmente pago pela empresa, agora terá que custeá-lo, com seu salário, pagando mensalidades.

A direção golpista da ECT,  conseguiu derrotar os trabalhadores e impor o fim do atual plano de saúde dos Correios, que era o principal obstáculo para impor a privatização da ECT.

Para que a direção da ECT e o TST conseguissem impor essa mudança no principal benefício da categoria, o plano de saúde, sem uma reação vigorosa dos trabalhadores, era necessário que o movimento sindical ajuda-se os golpistas.

E foi o que aconteceu,  os sindicalistas do Bando dos Quatro, na campanha salarial de 2017/2018, assinou um acordo com a direção golpista da ECT permitindo deixar fora do acordo a cláusula do plano de saúde (Cláusula 28°), entregando para os ministros do TST decidir sobre o assunto.

Encerraram uma greve de 17 dias, mentindo para os trabalhadores de que não precisavam manter a greve, já que tinham conseguido através do acordo manter todos os direitos, o que ficou comprovado com o julgamento do TST do dia 12 de março.

O Bando dos Quatro, para disfarçar para os trabalhadores que a destruição do plano de saúde foi motivada pela capitulação do acordo coletivo de trabalho de 2017/2018, quando assinaram um cheque em branco para os ministros do TST decidir sobre a cláusula 28°. os sindicalistas convocaram uma greve no dia do julgamento do TST.

Essa paralisação foi chamada, não para lutar, mas para esconder que o plano de saúde foi entregue na assinatura do acordo coletivo de 2017/2018, já que sabiam de ante-mão que os ministros do TST iriam destruir o atual plano de saúde.

Essa traição, pode ser considerada a maior traição da categoria, pois além de ser o melhor benefício da categoria, o desmantelamento desse plano, abre as porteiras para que os golpistas, representantes dos interesses privatizadores no país, acelere todo o processo de entrega da maior empresa de correios na América Latina que é a ECT.

Isso levará a demissão de milhares de trabalhadores e a retirada do direito constitucional à correspondência da população pobre no Brasil.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas