Desembargador tira processo contra Richa da 13ª Vara Federal, de Moro, decisão protege os dois

desembargador penteado

Da redação – Nessa semana, o desembargador Luiz Fernando Penteado, do Tribunal Regional Eleitoral, determinou que o inquérito do ex-governador Beto Richa (PSDB) fosse retirado da 13ª Vara Federal, de Sérgio Moro, para ser julgado na Justiça Eleitoral.

O fato de Luiz Penteado ser pai de Camila Penteado também (PSDB), empregada na gestão de Richa em cargo comissionado de assessoria do governo, deixa claro a parcialidade da decisão.

Sobre isso, Richa fala cinicamente que o parâmetro não pode ser levado em consideração, pois “se esse parâmetro fosse determinante, todos os familiares de pessoas com cargos em comissão nomeados em todas as administrações públicas seriam suspeitos”. E de fato o são.

Para usar as palavras de Richa, é possível entender as engrenagens que movem o “critério jurídico” no Brasil. O mesmo sistema judiciário que absolve PMDBistas de inquéritos longos, cheios de provas reais escabrosas, é aquele que condena Lula com acusações inúmeras vezes desmascaradas, insustentáveis. A decisão de Penteado também livra Moro do constrangimento de ter que livrar o dirigente tucano sob a atenção de todos: protege Richa e Moro ao mesmo tempo.