Desafiando o imperialismo, Putin constrói ponte da Rússia para Crimeia

ponte

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumpriu uma de suas promessas contra os neonazistas ucranianos, inaugurando na última terça-feira (14) os novos 19 quilômetros da ponte que liga a Rússia ao território anexado da Crimeia, atualizando a travessia da ponte construída por Moscou para ligar a federação à península anexada desde 2014. A construção é mais um desafio a Kiev, que a considerou um sinal de “desprezo pelo direito internacional”, e à Europa, que condena a anexação da região.

Putin, que atravessou a ponte na direção de um caminhão, disse ter “a certeza que as pessoas vão adorar”. A construção dessa ponte liga, especificamente, a península anexada do Mar Negro à Rússia continental, sem passar por território ucraniano, e foi um dos maiores desafios do líder russo. Foi construída para o transporte de mercadorias, para transportes rodoviários e ferroviários, começando a ser construída em 2016 e custando cerca de 3 bilhões de euros. O projeto estima que por ali passem 14 milhões de pessoas por ano, aproximando a Crimeia e a Rússia e permitindo à primeira crescer economicamente.

Início da construção da ponte

 

Visão espacial da ponte

A Crimeia tornou-se parte da Confederação Russa depois de um referendo popular que se seguiu ao golpe da Ucrânia, em 2014. O governo golpista da Ucrânia e o imperialismo não reconhecem a vontade popular local e a integração à Rússia, seu residente considerou a construção “ilegal” e a “última prova do desprezo do Kremlin pelo direito internacional”.