Derrubada das páginas do MBL: quem será o próximo?

facebook_censura

O Facebook excluiu 196 páginas e 87 perfis da direita e extrema-direita, a maioria ligadas ao MBL. Novamente a direita usa uma justificativa moral, nesse caso as chamadas “fakenews” e o “discurso de ódio” para abrir o caminho para censura generalizada.

As justificativas morais servem para convencer os elementos pequeno-burgueses, incluindo aí a esquerda. Alguns elogiaram a medida do Facebook, como foi o caso de Guilherme Boulos.

Até mesmo a página do presidenciável de extrema-direita Flávio Rocha, ligado ao MBL e capitalista dona da Riachuelo, foi tirada do ar. Diante do ocorrido, ele declarou ironicamente que “nem na época da ditadura se verificava tamanho absurdo”. Justamente a direita mais raivosa, que mais defende a censura e medidas como por exemplo o escola sem partido, aproveita a situação para fazer demagogia, se fazer de vítima.

Os perfis dos principais líderes do MBL também foram tirados do ar. Segundo a organização de extrema-direita, o Facebook teria feito tal medida por que eles vão contra a “ideologia” de Mark Zuckerberg, criador e dono do Facebook.

Da mesma maneira como a direita e o imperialismo usaram a chamada “luta contra a corrupção” para atacar direitos fundamentais do povo, dar o golpe de Estado e prender Lula e outros dirigentes políticos, aora usa a extrema-direita para abrir caminho para uma censura generalizada. E como sempre, as principais vítimas não serão os direitistas, mas a esquerda e as organizações populares.

Ao contrário do que a esquerda pequeno-burguesa está fazendo, comemorando a censura ao MBL, é preciso denunciar o caso como um precedente para a censura contra a esquerda. Como sabemos bem, no final da história, o MBL, o empresário dono da Riachuelo e a extrema-direita em geral continuarão aí, impulsionados pelos mesmo imperialismo que fingem combatê-los, enquanto que a esquerda terá dificuldade até mesmo para respirar, diante do tamanho da censura que está sendo preparada.

Contra os maiores produtores de calúnias e falsidades do Brasil, que é o monopólio da imprensa capitalista, a rede Globo, a Veja, o Estadão, a Folha etc, nada será feito. Pelo contrário, estes são os mais ilibados órgãos da imprensa nacional, afinal são os donos do golpe.

Por fim, nunca é demais lembrar que a extrema-direita, como o MBL, se combate nas ruas, não pedindo censura que irá se voltar contra a própria esquerda.