Maduro será processado por direita francesa por dizer a verdade sobre a final da Copa

UDI

Da redação – O deputado francês Jean-Christophe Lagarde, presidente do partido de direita, União dos Democratas e Independentes (UDI), afirmou nesta terça-feira (17), que vai denunciar o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, por incitação ao ódio racial. O processo se da por conta da declaração de Maduro na segunda-feira, afirmando que a vitória da França é a vitória da África na Copa do Mundo.

“A equipe da França parecia a equipe da África. Ganhou a África realmente, os imigrantes africanos que chegaram à França”, declarou o presidente bolivariano, em Caracas. Maduro está coberto de razões, como este diário também afirmou após a vitória da França, nos alinhamos em denunciar que se alguém jogou futebol, são os filhos roubados da África.

“O quanto menosprezaram a África e, no Mundial de futebol, a França obtém o título graças aos jogadores africanos, ou filhos de africanos!”, acrescentou ainda, em relação ao racismo contra os imigrantes.

Lagarde foi pressionado pela imprensa sobre as alegações e disse: “vou apresentar uma queixa contra ele, porque isso se chama incitação ao ódio racial”.

O deputado disse ainda que Maduro “negou o que a França é”, porém, quem está negando o que é o seu próprio país, uma potência imperialista de colonização, escravidão, que matou milhões na África, é o direitista. A campanha para a França ganhar a Copa foi imensa, vencendo nitidamente roubado, e agora, aumentando ainda mais a campanha de que seu país é o paraíso da democracia multi-étnica, sendo que, nas últimas eleições a candidata de extrema-direita, Le Pen, teve 40% dos votos, somando mais de 10 milhões de pessoas que defendem essa política racista contra os imigrantes. Ressaltamos também que o genocídio cometido nos países dos imigrantes é realizado exatamente pelas guerras imperialistas da França, EUA, Inglaterra, que sempre fingem ser democratas.