Extrema-direita
O deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP) fez um discurso ameaçando e intimidando a categoria dos professores.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
douglas-garcia
Deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP). |

O deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP) tentou intimidar e perseguir professores da Escola Estadual Alberto Alves Rollo, localizada na cidade de Américo Brasiliense, interior de São Paulo. O deputado fascista é uma das principais lideranças do Movimento Direita São Paulo (rebatizado como Movimento Conservador), do Partido Social Liberal (PSL) e destacado ativista do programa Escola Sem Partido, que advoga pela perseguição política aos professores e pela cassação dos direitos democráticos de liberdade de expressão e de cátedra nas escolas. É importante destacar que, no carnaval de 2018, Douglas foi o criador do bloco Porão do Dops, que fazia apologia à tortura e assassinato de presos políticos durante a ditadura militar.

No dia 17 de Setembro, foi ministrada uma palestra sobre diversidade cultural na escola Alberto Alves Rollo, com autorização da gestão escolar, que incluía uma roda de conversa e debate sobre diversidade étnica, religiosa, sexual e de gênero. O objetivo era discutir questões que são presentes na realidade escolar e na sociedade, em especial para combater preconceitos e promover o respeito e a tolerância entre os alunos. Passados alguns dias, o próprio deputado fascista ligou para a escola e ameaçou os professores e a gestão escolar, dizendo que iria tomar providências para investigar e punir o ensino de “ideologia de gênero” na escola.

Em discurso no Plenário na Assembleia Legislativa de São Paulo, o deputado expôs agressivamente a professora Patrícia e fez uma série de acusações e calúnias contra ela, inclusive com ameaças à categoria dos professores em conjunto. Fez uma série de ataques à Universidade Estadual Paulista (Unesp), aos estudos e pesquisas científicas realizadas nesta instituição.

Diante dessa ofensiva, é necessário mobilizar  os professores e estudantes, os sindicatos de professores, as organizações estudantis e da juventude, as organizações de massas como a CUT e as que respondem pela ciência e pesquisas no país contra as tentativas de intimidação e perseguição da extrema-direita fascista. Os fascistas devem ser derrotados pelo povo nas ruas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas