Macarthismo
O parlamentar bolsonarista elaborou um dossiê para perseguição política com dados pessoais de opositores de Jair Bolsonaro.
douglas-garcia
Douglas Garcia é fiel apoiador de Jair Bolsonaro e apologista do golpe militar e da ditadura | Reprodução
douglas-garcia
Douglas Garcia é fiel apoiador de Jair Bolsonaro e apologista do golpe militar e da ditadura | Reprodução

O deputado estadual Douglas Garcia (PTB), bolsonarista criador do Bloco “Porão do DOPS” no Carnaval de 2018, terá de pagar uma indenização de R$ 20 mil a um manifestante opositor de Jair Bolsonaro (ex-PSL, sem partido) pela divulgação de seus dados pessoais na internet.

No ano passado, o parlamentar ganhou destaque com a elaboração de um dossiê político com cerca de mil nomes de opositores de Jair Bolsonaro, que foi amplamente difundido na internet. No documento, constavam os nomes, endereços residenciais e de trabalho, redes sociais, idade e fotografias de indivíduos que se manifestavam como antifascistas. Até mesmo se verificava um tópico que relatava onde a pessoa costumava ser vista, o que levanta o questionamento sobre a participação da Polícia Militar e Polícia Civil de São Paulo na elaboração.

O parlamentar disse que enviou o dossiê às instituições policiais e judiciárias. O objetivo do dossiê era criar um clima de macarthismo, caça às bruxas e perseguição política. Douglas inclusive dizia que os opositores de Bolsonaro deveriam ser enquadrados como terroristas e processados pela Lei de Segurança Nacional.

 

Relacionadas
Send this to a friend