Deputada Benedita da Silva tem bens bloqueados: mais perseguição contra o PT

Benedita-da-Silva1

Da redação – Segue a perseguição ao Partido dos Trabalhadores, agora, na pessoa da juíza Adriana Marques dos Santos Laia Franco, da 8ª Vara de Fazenda Pública do Rio de Janeiro, ordenando o bloqueio dos bens e quebra dos sigilos bancário e fiscal da deputada federal Benedita da Silva.

“A citada providência de indisponibilizar bens dos réus possui natureza acautelatória, sobretudo quando se verifica que objetiva assegurar o ressarcimento aos cofres públicos de ocasionais danos causados pelo ato apontado como ímprobo”, afirmou a juíza. Lembrando que a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) foi derrubada do poder exatamente pela mesma acusação: improbidade fiscal.

A petista responde pelos crimes de improbidade administrativa por supostas fraudes em convênios entre a Fundação Darcy Ribeiro (Fundar) e ONGs com o Ministério da Justiça, uma clara perseguição política que vai no mesmo sentido das delações falsas contra Dirceu, Genoíno, Dilma, Lula e todos que se contrapõem ao programa de destruição do imperialismo.

Segundo o Ministério Público, na execução dos projetos sociais “Mulheres da Paz”, “Protejo” e “PEUS – Espaços Urbanos Seguros”,  no governo entre 2008 e 2011, foram destinados R$32.094.569,03, direcionados para instrução e profissionalização de mulheres e jovens, além de melhorias urbanísticas em comunidades carentes. É sobre este ponto que o processo todo se debruça, acusando a petista de “grave prejuízo ao patrimônio público estadual”, “execução financeira irregular”, bem como de “falta de controle sobre a prestação do serviço” e “precária prestação de contas” que gerou “evidente direcionamento da contratação em favor da Fundação”.  São os mesmos argumentos da “luta contra a corrupção” da operação golpista da Lava Jato que prendeu Dirceu e Lula sem provas, e que agora, acusa, pela declarações de Antonio Palocci, Dilma, Haddad e tantos outros.

A finalidade da burguesia é destruir um partido que tem uma base gigantesca de trabalhadores, acusando-o de ser uma organização criminosa e perseguindo os dirigentes para desmoralizar o partido na imprensa burguesa.