Depósito de negros e pobres: 40% dos presos brasileiros não foram condenados

PRESÍDIO-STEPHAN-e1502830671970

No Brasil, em cada dez encarcerados, quatro são presos provisórios, ou seja, ainda não foram julgados por nenhuma instância. Esse levantamento foi revelado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) através do Banco Nacional de Monitoramento de Prisões-Cadastro Nacional de Presos, documento publicado no ultimo dia 8 de agosto. Um outro dado levantado é que 65% dos reclusos ainda não foram completamente julgados.

Mais de um terço da população carcerária tem entre 18 e 24 anos, número que chega a 165.794 presos (30,52%), outra informação é que mais de 60% dos presos se auto declaram negros ou pardos, e que, em quase sua totalidade é pobre e, entre os pobres, a maioria é negra. Uma constatação da seletividade penal contra a população negra, transformando as cadeias em depósitos de negros e pobres.

É também apontado que, 24% dos detentos respondem por crimes relacionados ao porte de drogas, resultado da chamada “Guerra às Drogas”, uma verdadeira guerra contra a população das periferias, que persegue, prende e mata jovens pobres e negros por todo o País. O combate ao trafico de drogas, que curiosamente só é efetivo no pequeno varejo, é o mecanismo encontrado para manutenção da opressão sobre os mais pobres.

O que vemos é que o levantamento feito pela própria justiça burguesa demonstra a ação criminosa do Estado, que mantém uma enorme parcela da população presa por motivos totalmente injustos e o verdadeiro caráter do sistema prisional, que consiste em manter a hierarquia social, perseguindo e aprisionando o povo negro e pobre.