Deportação e especulação: prefeitura Doria-Covas planeja “transferir” a “Cracolândia” na marra

cracolandia

Na capital paulista, o PSDB ensaia mais uma de suas medidas fascistóides contra a Cracolândia.

Há pouco mais de um ano, a região foi palco da tradicional truculência do PSDB, que enviou a PM para expulsar os moradores com bombas e bala de borracha, e a Guarda Municipal para “recolher”, ou seja, roubar os poucos pertences da população.

O próprio Conselho Federal de Psicologia definiu a medida de Doria como “barbárie” e “atrocidade”. A população flutuante da Cracolândia quase triplicou nos últimos dois anos, graças ao desmonte das políticas públicas do governo tucano.

Após um breve recuo, o PSDB volta a ensaiar a retirada dos moradores daquela região central, e abri-la para interesses de grandes imobiliárias. A estratégia atual é mais discreta. O objetivo é incentivar os usuários a irem para outra tenda da Prefeitura, a 3km dali, próxima à Rodoviária Tietê.

Se o governo Doria-Covas se preocupasse com as necessidades daqueles moradores, expandiria o tratamento já existente no local. Como o interesse do PSDB é atender as necessidades dos capitalistas, a população pobre é vista como um obstáculo a ser empurrado para longe. Assim que os usuários se deslocarem para outro lugar, serão novamente abandonados à própria sorte, pois nunca foram a verdadeira prioridade.