Depois de impedido de ser eleito, justiça dá golpe para não deixar Lula votar

ll

Da redação – A advogada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Valeska Teixeira Zanin Martins, anunciou nesta quinta-feira (13) que o TRE/PR (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná) não autorizou o petista a votar nas eleições de outubro. A justificativa absurda apresentada é que seriam necessários ao menos 20 eleitores presos na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba para que fosse criada ali uma seção eleitoral.

A defesa argumentou ainda que quando não existe o número mínimo para a criação de uma seção, que o preso deveria ser levado para votar fora das dependências do local do cárcere e que cogita entrar com recurso para garantir o direito do voto a Lula. Porém, a justiça golpista, a PF, tremem só de pensar em retirar Lula da masmorra em Curitiba, e, dessa forma, negam qualquer ação que vá nesse sentido. 

É impensável que, golpistas, agentes internos treinados pelos EUA para derrubar o governo de Dilma Rousseff (PT), depois de tudo o que fizeram, deixariam Lula sair para votar. Não podemos criar ilusões para os trabalhadores: Lula só será liberto por uma mobilização de massas, e as eleições, serão totalmente fraudadas, controladas pelos militares, como, inclusive, seriam com o ex-presidente, o maior líder da América Latina que é preso político enquanto a esquerda pequeno-burguesa brinca de pleito.