Golpismo para quem quiser ver
O STF golpista julgará em “corte virtual”, sem discussão e em datas aleatórias, quatro anos depois o processo que levou ao golpe de Estado.
Former Brazilian President Dilma Rousseff speaks during a news conference in Rio de Janeiro, Brazil March 26, 2018. REUTERS/Pilar Olivares
Dilma Rousseff - foto arquivo DCO |
Former Brazilian President Dilma Rousseff speaks during a news conference in Rio de Janeiro, Brazil March 26, 2018. REUTERS/Pilar Olivares
Dilma Rousseff - foto arquivo DCO |

Na última sexta-feira (06/03/2020) o Supremo Tribunal Federal começou a analisar o processo de impeachment  contra a ex-presidenta Dilma Rousseff, quatro anos após a derrubada do governo, sob esse pretexto. O conteúdo do processo, até então, ficou intocado pelo órgão golpista, que referendou a fraude.

Com total descaso aos direitos democráticos de toda uma população e da própria Dilma Rousseff, o julgamento acontecerá em “corte virtual”, isto é, mesmo julgando depois do tempo em que o mandato já teria acabado, cada ministro dos quarenta salários mínimos votarão quando tiverem vontade, e não numa sessão única. Uma manobra dos lacaios do golpe para abafar o caso, o que demonstra mais ainda o caráter fraudulento do processo.

Devido a inconsistência de um suposto crime de “irresponsabilidade fiscal” o STF referendou o golpe de Estado que derrubou o governo legítimo do PT. Não só naquele momento, mas os políticos profissionais de toga participaram de diversas manobras no desenvolvendo do golpe ruma a uma ditadura.

Vale lembrar a prisão do ex-presidente Lula, uma das maiores manobras, com total participação da corte. Como também a cassação de direitos democráticos sob alegações superficiais, como a supressão do direito ao voto de milhões de cidadãos através do golpe da biometria.

Sem contar que os “guardiões da Constituição Cidadã” legislam ao bel prazer em temas muito impopulares, em que o Congresso teme a perda de votos, como a terceirização irrestrita e o apêndice da “lei anti-racismo”, a lei “anti-homofobia”. Que como já foi discutido diversas vezes no Diário Causa Operária, mais leis que não combatem em nada o que pretendem, apenas reforçam a repressão do Estado.

É preciso dizer claramente: o STF é uma instituição reacionária, anti-democrática e deve ser dissolvida! Os exemplos disso são inúmeros, até porque é a instituição a mais antiga do país, sem sofrer nenhuma alteração desde sua existência. É o fio condutor que se passou as capitanias hereditárias, com seus oligarcas bem representados.

É necessário impor uma derrota significativa ao STF e todos os golpistas com a luta pelo fora Bolsonaro. O governo da miséria e da fome é resultado direto da intervenção do órgão na derrubada da Dilma, da prisão do ex-presidente Lula, na interferência do pleito. Que resultou, em nada mais nada menos, que o governo Bolsonaro. Na cabeça do fascismo e no risco à toda população brasileira, e latino-americana. Visto que por qualquer afago do seu imperador Trump, ele entra em guerra com qualquer país que seja, sendo o da vez a Venezuela.

É imprescindível sair às ruas, chamar manifestações de massa, que derrube o governo fascista e imponha uma derrota significativa e irremediável ao fascismo, ao conjunto da direita e ao regime político saído do golpe! Fora Bolsonaro e todos os golpistas! Eleições gerais já!

 

 

Relacionadas
Send this to a friend