Denúncia: trabalhadores da Baixada Santista são coagidos a ir em ato pró-Bolsonaro; é preciso combater

Candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro

Da redação – O Diário Causa Operária recebeu de forma anônima algumas denúncias de trabalhadores do comércio de diversas cidades. São chantagens sofridas pelos funcionários para votar em Bolsonaro.

Segundo as denúncias, no último domingo (21) funcionários de estabelecimentos comerciais da Baixada Santista foram obrigados a participar das manifestações pró-Bolsonaro, caso contrário poderiam perder seus empregos. Os argumentos são parecidos com os que vimos com o empresário dono da Havan, Luciano Hang, onde este ameaça fechar suas lojas caso Haddad vencesse.

Esses casos reafirmam o que o Diário Causa Operária vem denunciando, as eleições são uma verdadeira fraude, e essas em particular podem ser as eleições mais fraudadas desde a época da Republica Velha, segundo o próprio presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, afirmou em sua última Análise Política da Semana do dia 20 de outubro.

É preciso organizar um grande movimento popular para barrar o avanço da extrema-direita. Para isso, o PCO e os Comitês de Luta Contra o Golpe estão convocando, como ferramenta para aglutinar as organizações populares, a 2ª Conferência Nacional Aberta de Luta Contra o Golpe, que será realizada nos dias 8 e 9 de dezembro, em São Paulo.

O PCO também chama ao movimento popular a imediata organização de um Congresso do Povo, bem como a toda a esquerda a se juntar e montar novos Comitês de Luta Contra o Golpe, bem como formar Comitês de Autodefesa da população.

Os trabalhadores que obtiverem áudios, vídeos e material com evidência mandem para nosso email: [email protected]