Sem direitos na “democracia”
“Democracia” norte-americana: mulher dá à luz sozinha em cela
No país cuja maior propaganda internacional é de ser o defensor máximo da democracia, mulher tem seus direitos negados e não recebe ajuda durante trabalho de parto em sua cela
xblog_diana.jpg.pagespeed.ic.v3oxBLBgKf
Sem direitos na “democracia”
“Democracia” norte-americana: mulher dá à luz sozinha em cela
No país cuja maior propaganda internacional é de ser o defensor máximo da democracia, mulher tem seus direitos negados e não recebe ajuda durante trabalho de parto em sua cela
Fonte: Inside Edition.
xblog_diana.jpg.pagespeed.ic.v3oxBLBgKf
Fonte: Inside Edition.

No país cuja maior propaganda internacional é de ser o defensor máximo da democracia, vemos cada vez mais situação que em nada condizem com as belas palavras da imprensa.

Após colocar imigrantes em campos de concentração, ganhar fama pelo seu alto nível de repressão policial contra a população negra e invadir, em uma destruição em massa, diversos países ao redor do mundo, o imperialismo norte-americano mostra novamente a forma com que trata sua própria população.

Em imagens gravadas por uma câmera de segurança da penitenciária de Denver, Colorado, vemos uma mulher de 26 anos sendo obrigada a dar a luz sem qualquer assistência.

O caso ocorreu em 2018, porém apenas agora veio a tona com o processo de sua advogada contra a administração do lado.

De acordo com relatos, a jovem que dava a luz, teve seus direitos completamente ignorados, após mais de oito avisos da mesma que estaria entrando em trabalho de parto.

Além disso, foi revelado que enquanto Diana Sánchez dava a luz, um enfermeiro a observava agonizar do lado de fora da cela, entrando apenas para recolher o bebê e não dando nenhuma assistência a mãe.

Dessa forma, vemos mais uma vez o estado ditatorial que vive a população mais pobre nos Estados Unidos, que sob a propaganda de ser a democracia em forma de país, esmaga sua população, seja no atendimento dos hospitais, seja nas celas, não garantindo assim nem mesmo os direitos básicos de cada cidadão.