Demitidos por fazer greve: Halliburton pune trabalhadores que pararam por 12 dias em 2017

download (3)

A empresa Norte Americana de exploração de petróleo Halliburton, cometeu um crime, na terça-feira dia 10 de abril, ao demitir três empregados.

A ação fere acordo coletivo firmado no ano de 2017, quando ocorreu o término da greve dos trabalhadores da empresa que durou doze dias. Entre as reivindicações da greve estavam o pagamento do dia de desembarque, compra de 10% de dias acumulados, fim do banco de horas, reajuste/revisão anual do bônus, alteração na nomenclatura do bônus e promoções, que a categoria não recebe há cinco anos.

A Federação Única dos Petroleiros (FUP), o Sindipetro-NF, estão acompanhando a situação e vão cobrar à Halliburton um posicionamento, e o motivo das demissões e do descumprimento do acordo. O que agrava a situação dos três trabalhadores, é que tão logo as demissões ocorreram a empresa já iniciou o processo de contratação e substituição do trabalhadores.

Esse se torna mais um caso de abuso do poder, em tempos que a CLT não garante direitos e a lei da terceirização aprovada em março de 2017, só contribui para a instabilidade nos locais de trabalho e a inviabilidade das categorias organizarem greves para exigir os seus direitos trabalhistas e melhores condições de trabalho.