Siga o DCO nas redes sociais

Greve Petroleiros
Demissões e fechamento da fábrica, não! Todo apoio à greve petroleira!
Organizar uma forte mobilização para assegurara o não fechamento da empresa através dos métodos de luta da classe trabalhadora
Greve-Araucária-Nitrogenados-1200x742
Greve Petroleiros
Demissões e fechamento da fábrica, não! Todo apoio à greve petroleira!
Organizar uma forte mobilização para assegurara o não fechamento da empresa através dos métodos de luta da classe trabalhadora
Ato dos petroleiros.
Greve-Araucária-Nitrogenados-1200x742
Ato dos petroleiros.

Na esteira de privatizações e a entrega do patrimônio do povo brasileiro, o governo ilegítimo/golpista Bolsonaro, e seus prepostos à frente da direção da Petrobras, anunciou o fechamento da subsidiária Araucária Nitrogenados S/A (ANSA), com sede em Araucária, na região metropolitana de Curitiba (PR), depois dos “fracassos” na tentativa de venda da unidade. 

Com o fechamento mais de mil pais de família serão jogados no olho da rua, dentre funcionários efetivos e terceirizados.

Segundo as justificativas para o fechamento da subsidiária da Petrobras, a empresa vem apresentando prejuízos e a previsão para 2020 seria ainda maiores do que 2019. 

Tal justificativa, conversa para boi dormir, é um artifício utilizado pela burguesia para privatizar as empresas. O fechamento da ANSA faz parte da política neoliberal dos golpistas de privatizar todas as empresas estatais, conforme declaração, do tresloucado Ministro da Economia, Paulo Guedes. Tal política nada mais é do que satisfazer os apetites dos grandes capitalistas em crise que exigem o aprofundamento dos ataques aos trabalhadores e de todo o povo brasileiro para confiscar o patrimônio nacional nem que para isso sejam demitidos milhares de trabalhadores e jogar na miséria milhares de famílias.

Segundo declaração, para a empresa capitalistas, do diretor do Sindiquímica Paraná, Caio Rocha, “a Petrobras violou o acordo coletivo dos trabalhadores ao anunciar o fechamento da Fafen” e continua “no nosso acordo coletivo, temos uma cláusula que proíbe a demissão em massa antes da negociação com o sindicato e que seja concluído um plano de demissão. O que a empresa apresentou foi unilateral. Ela não está aberta a negociação. Fez um pacote de benefícios sem discussão”. (Site Estadão 14/01/2020) 

Para Rocha o “objetivo principal da categoria é tentar uma negociação política para manter a fábrica. A segunda frente é a luta para conseguir realocar os trabalhadores da Fafen do Paraná no grupo Petrobras” (idem) Mas, nesse sentido, a Petrobras já deu a sua negativa em relação às transferências. 

A única forma eficaz de luta neste momento, para impedir os ataques e o fechamento da empresa, é a intensificação das mobilizações e organizar uma greve geral da categoria. A vitória dos trabalhadores somente poderá estar assegurada se houver uma radicalização da luta através das ocupações das empresas, como medida de força para impedir as privatizações das estatais e barrar a entrega do patrimônio do povo brasileiro pelo governo golpista, capachos dos banqueiros e capitalistas estrangeiros.