Demagogia burguesa
Nesta segunda feira dia 19 de outubro, o presidente fascista Jair Bolsonaro afirmou novamente que o governo não obriga os brasileiros a tomarem a vacina contra covid-19.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Bolsodoria
Jair Bolsonaro e João Dória | Foto: Reprodução https://www.cartacapital.com.br/

Nesta segunda feira dia 19 de outubro, o presidente fascista Jair Bolsonaro afirmou novamente que o governo não obriga os brasileiros a tomarem a vacina contra covid-19.  O executivo federal sustenta que a decisão acerca da vacina seria prerrogativa do governo Federal e do ministro de saúde da esfera federal, o general golpista Eduardo Pazuello, afirmou: “já disse que não será obrigatória essa vacina e ponto final”.

“Tem um governador aí que está se intitulando o médico do Brasil, dizendo que ela será obrigatória — repito que não será —. Da nossa parte, a vacinação, quando estiver em condições de, depois de aprovada pelo Ministério da Saúde e com comprovação científica, e assim mesmo tem que ser validada pela Anvisa, daí sim nós oferecemos ao Brasil, de forma gratuita, obviamente, mas repito: não será obrigatória”. Afirmou em seu pronunciamento Bolsonaro.

Essa manifestação seria em oposição à colocação pública do também fascista governador do estado de São Paulo pelo PSDB, João Dória que teria se manifestado:  “Em São Paulo a vacinação será obrigatória, exceto para quem tenha orientação médica e atestado médico de que não pode tomar a vacina. E adotaremos medidas legais se houver contrariedade nesse sentido”.

O que vemos aqui são dois funcionários de grupos capitalistas diferentes, com interesses pontuais diferentes, dos quais suas ações tiveram consequências terríveis a população, resultando em mais de 150 mil mortos pela pandemia. O que demonstram de forma cabal, que ambos os grupos não têm qualquer compromisso com a população. Esses dois executivos estadual e federal não realizaram qualquer ação significativa para conter a pandemia, promovendo um verdadeiro genocidio da classe trabalhadora e quando muito, só ofereceram demagogia a população.

Fica claro nas manifestações do governador paulista que ao falar em vacina obrigatória, o interesse do tucano seria apenas de justificar um aumento na repressão a população do estado de São Paulo. Ausência de qualquer ação de combate efetivo a pandemia de covid-19 desmascarar essa manobra política do governo do PSDB.

Já o fascista Bolsonaro defensor aberto da ditadura militar de 1964 e contrário às liberdades e direitos civis, em suas falas se passa como um defensor da liberdade, contrário a obrigar a população a se vacina, única e exclusivamente para desobrigar completamente o Estado de vacina a população. O único interesse real da política de Bolsonaro seria do Estado continuar sem gastar nada com a população durante a pandemia para continuar repassado trilhões aos capitalistas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas