Defender Lula agora é crime: militantes são enquadrados por colarem cartazes em Embu das Artes

embu10

Da redação – Nesta quarta-feira, 04, o comitê de luta contra o Golpe de Embu das Artes, em sua rotina semanal de agitação e colagens de cartaz foi atacada em seus direitos de liberdade pela Guarda Civil Municipal (GCM) a mando do prefeito Ney Santos (PRB). A ação arbitrária do braço armado da burguesia tem como fundamento o golpe, que aumentou a violência contra a população, pois, a atividade em si não tinha relação alguma com o prefeito, e, mesmo assim, os “guardinhas” utilizaram de força desproporcional.

Em seguida foi solicitado reforço para os três militantes do comitê que colavam cartazes, expressando sua posição política contra o golpe, unindo mais de 10 policiais no local. Como se já não fosse o bastante, tentaram fazer com que uma militante tirasse os cartazes.

As ameças e tentativas de cerceamento da liberdade de expressão fere gravimente a constituição em seu artigo 5° – IX que diz: “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”, a única ação da guarda nessa situação é a de garantir o direito constitucional de livre expressão do pensamento.
A GCM desrespeita a lei e tenta intimidar manifestantes.