Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
csm_simulacro-arma-oplit-ponta-verde_de6fc96dd9
|

O presidente fascista e ilegítimo Jair Bolsonaro decretou a posse de armas, proposta que já vinha desde a sua campanha eleitoral.

É uma medida contraditória, uma vez que não modifica a essência da lei, que continua basicamente a mesma. Quem poderá possuir armas são os capitalistas, os latifundiários e os membros das forças de repressão.

Entretanto, o decreto flexibiliza a questão da comprovação da efetiva necessidade de armas para que o cidadão tenha direito de possuir até quatro armas em sua residência ou estabelecimento. A Polícia Federal, que é quem autoriza a posse, terá de conduzir uma investigação caso acredite que o cidadão não tem condições de possuir armas.

Como o governo Bolsonaro é cheio de contradições, ele procura o máximo possível atender plenamente os interesses da burguesia e do imperialismo, mas precisa conciliar esses interesses com os de sua base, que é a extrema-direita fascista. Esses últimos grupos vinham pressionando para um decreto ainda mais liberal, por isso Bolsonaro teve de ceder minimamente a esses setores. Alguns deles até ficaram contrariados, pois acreditam que deveria ser ainda mais diminuto o poder do Estado de controlar o direito de posse e porte de armas do cidadão.

Mesmo assim, determinados setores da burguesia não concordaram com esse decreto, pois preferiam inclusive uma lei mais restrita, uma vez que os cidadãos, para a burguesia, devem viver constantemente indefesos dos ataques sofridos pelos capitalistas.

Os trabalhadores não poderão andar com armas para organizar sua autodefesa plenamente contra a direita e os patrões. Inclusive, os membros de partidos de esquerda e de movimentos como o MST e o MTST possivelmente não terão o direito de posse de armas, até porque podem ser considerados organizações criminosas pelo governo de extrema-direita.

Os trabalhadores e a população em geral devem reivindicar o direito pleno ao porte de armas, que é um direito democrático conquistado, por exemplo, pelo povo dos EUA e da França, em suas respectivas revoluções, para se protegerem do poder do Estado opressor.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas