Ala direita
O apoio ao candidato Boulos é parte da campanha pela frente ampla
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
boulos
Campanha de Boulos é apoiada pelos defensores da frente ampla | Foto: Reprodução

Para conseguir apresentar a candidatura de Guilherme Boulos como sendo a candidatura da “esquerda” em São Paulo, além da ostensiva campanha através da imprensa capitalista foi montada uma operação com muito alarde de que o PT ou pelo menos alguns dos seus apoiadores históricos estariam apoiando entusiasticamente o candidato do PSOL.

É este dado que ilustra com muita acuidade o sentido geral da manobra política do “crescimento” da candidatura Boulos. O espetáculo degradante de setores do PT abandonando a candidatura oficial do partido, ainda no começo da campanha eleitoral, para apoiar outra candidatura é parte ofensiva geral da burguesia contra o PT.

A justificativa usada, os índices de intenção de votos em pesquisas feitas sob medida representam uma fabricação intencional do “clima” para a capitulação diante da frente ampla, que tem uma relação direta com a política da burguesia de esvaziamento das candidaturas do PT nas eleições para com isso enfraquecer a polarização política.

Assim, pois, não se trata da construção de “novas lideranças de esquerda” nem muito menos uma “renovação política” com reforço da “ esquerda radical”. A candidatura do PSOL é produto da política da burguesia para sequestrar o capital eleitoral do PT, tendo como horizonte não as eleições municipais, mas a sucessão de 2022.  O objetivo é transferir os votos da esquerda reformista para a esquerda pequeno burguesa, para depois transferir para a direita “ democrática”, que deu o golpe em 2016.

Os setores do PT que advogam o voto em Boulos, estão simplesmente apoiando essa manobra política, que fundamentalmente serve para enfraquecer o PT e em perspectiva fortalecendo a frente ampla com a burguesia. Evidentemente que apoiadores eventuais e até mesmo eleitores tradicionais do PT podem cair neste conto do vigário do voto útil, mas o que é relevante de ser analisado é a postura de setores que conscientemente estão apoiando a frente ampla, que se traduz do ponto de vista prático neste momento no voto no PSOL.

É preciso remontar à política adotada por estes setores da direita do PT durante o golpe e nas eleições de 2018. A política de abandonar a luta contra o golpe, e a busca de um entendimento com os golpistas foi proclamada por figuras como Humberto Costa e pelos governadores do PT, como Rui Costa (Bahia) e Camilo Santana (Ceará), a palavra de ordem “virar a página do golpe” é a síntese dessa política. Em 2018, estes setores defenderam o abandono da candidatura Lula em prol do chamado “plano B”, que se expressou na candidatura de Fernando Haddad.

A iniciativa de fomentar o apoio a Boulos por parte desses setores do PT é neste sentido a continuidade da política de “virada da página do golpe”. Nas eleições municipais de 2020, em São Paulo, a maneira de fortalecer a política de frente ampla, ou seja, colocar a esquerda e os trabalhadores a reboque da direita é pregar o pretenso “voto útil” no PSOL. Tal tem sido o fundo da questão do aparecimento de declarações e manifestos contendo assinaturas de petistas em prol da candidatura Boulos. Notem que não é uma questão de voto no “melhor colocado” nas pesquisas de opinião, que no Rio de Janeiro não tem manifestos de apoiadores do PSOL pregando o voto útil em Benedita da Silva do PT.

Exemplo disso é o manifesto “São Paulo precisa de Boulos e Erundina”, com assinaturas de artistas e intelectuais como  André Singer, Bete Mendes, Celso Amorim, Chico Buarque e os atores Camila Pitanga e Wagner Moura. Recentemente Leonardo Boff também declarou voto em Boulos.

A imprensa logicamente impulsiona o movimento dentro do PT pela frente ampla, por isso dar destaque a qualquer personalidade que algum dia votou no PT que estaria aderindo à campanha de Boulos. O objetivo é fomentar a ideia de debandada em direção ao candidato do PSOL. Quando algum dirigente do Partido fez declaração de que o candidato é o candidato deliberado pelo partido, a imprensa desmente, afirmando que se trata tão somente de um despiste.

 “Este é o discurso oficial do partido. Em conversas privadas, no entanto, petistas admitem que este tipo de apoio, embora não tenha impacto eleitoral direto (Amorim e Chico, por exemplo, votam no Rio), pode corroer o apoio petista junto à classe média, dar margem para outras deserções e dificultar os esforços para Tatto ganhar musculatura. (Folha de são Paulo)

O que essa passagem indica é que existe um setor dentro do PT que faz jogada casada com a imprensa que defende da frente ampla, e não se trata simplesmente de tal ou tal pessoa que declara apoio a Boulos ou que assina um manifesto, mas na verdade, é uma articulação para fomentar uma “ tendência” de maneira artificial, a revelia da própria militância do partido. Isso se dá porque os apoiadores do “ Plano B” em 2018, querem mais uma vez utilizar da campanha geral da imprensa para ditar uma determinada política no interior do PT e na esquerda em geral. Em 2018, a imprensa apresentava a todo momento que Lula não podia ser candidato, que seria uma “ perda de tempo, insistir com um candidato “ ficha-suja””, que era preciso uma “ autocritica”, etc, isso quando ex-presidente Lula estava disparado na frente nas pesquisas de opinião.

A verdade que a operação “ Boulos é candidato com mais chances eleitorais” é no essencial a continuidade em 2020 da mesma política capituladora de 2018, visando preparar a grande fraude em 2022, para mais uma vez abandonar a única candidatura que teria uma possibilidade real de derrotar os candidatos golpistas, e apresentar ou apoiar um candidato palatável para o regime golpista, ou até mesmo apoiar uma variação do golpe

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas