Mais ataques ao povo
A ministra obscurantista cortou orçamento do Programa de Proteção de Crianças e Adolescentes Ameaçadas de Morte, este que foi utilizado pela menina de 10 anos que realizou aborto
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
DF - DIA INTERNACIONAL DA MULHER/BOLSONARO - POLÕTICA - O presidente da Rep¿blica, Jair Bolsonaro, ao lado de Damares Alves, ministra da Mulher,   FamÌlia e Direitos Humanos, em cerimÙnia alusiva ao Dia Internacional da Mulher, no   Sal¿o Oeste do Pal·cio do Planalto, em BrasÌlia, nesta sexta-feira, 8.      08/03/2019 - Foto: DIDA SAMPAIO/ESTAD¿O CONTE¿DO
Golpistas Bolsonaro e Damares. | Foto: Reprodução

A ministra reacionária Damares Alves, em mais um ataque bárbaro à população brasileira cortou metade da verba do Programa de Proteção de Crianças e Adolescentes Ameaçadas de Morte (PPCAAM) do estado do Espirito Santo. Assim o orçamento, já com um valor baixo inicialmente, foi diminuído de R$ 1,4 milhões para R$ 736 mil reais, escancarando a realidade por parte da direita que não demonstra nenhuma preocupação com a vida, apenas ataques ao povo e repressão.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, desde o início do governo golpista de Jair Bolsonaro, se mostrou uma das figuras mais reacionárias do país, atacando a população brasileira, principalmente as mulheres. O caso mais recente foi o da menina de 10 anos, que após ser estuprada iria fazer um aborto legal e foi atacada por uma legião de fascistas que tentaram impedir seu direito, tendo sido Damares Alves uma das figuras principais.

O PPCAAM do ES, cuja ministra golpista cortou o orçamento, foi acionado para dar auxilio a esta menina, o que torna o caso ainda mais emblemático. Fica claro que o governo Bolsonaro tem como sua política principal atacar a população de todas as formas possíveis, seja com suas políticas econômicos para agradar os capitalistas nacionais e o imperialismo que envolvem os cortes massivos em programas sociais importantíssimos, seja nas ações da polícia e de gangues fascistas que atacam a população cada vez mais.

A situação de crise na economia somada à pandemia da covid-19 que assola o Brasil, exige que o Estado gaste cada vez mais com a população para que a fome e a miséria não destruam a vida do povo. Contudo, desde o golpe de Estado de 2016, o que se vê é o oposto, apenas cortes em todos os programas sociais que jogam a população em uma situação de miséria cada vez maior. Cortes esses realizados por Bolsonaro, seus ministros direitistas, como Damares Alves e também os políticos da direita tradicional no congresso e no judiciário, ou seja, todo o conjunto dos golpistas.

Frente a essa conjuntura o povo tem como saída apenas a sua mobilização. As organizações de esquerda devem lutar pelo retorno dos programas sociais e por um grande aumento de seu orçamento; portanto devem lutar para que os capitalistas paguem pela crise e não os trabalhadores. Contudo as lutas parciais são insuficientes para se conquistar uma vitória, é preciso unificar toda a classe operária com a palavra de ordem: Fora Bolsonaro e todos os golpistas!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas