CUT denuncia “golpe dentro do golpe” e convoca manifestações a partir do dia 21, na Paulista

Ainda que com dificuldades previstas pelos golpistas dos judiciários que escolheram a data do julgamento do recurso do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), para o dia 24 de janeiro, justamente em meio a um período de recesso parlamentar, férias escolares, véspera do carnaval etc, a mobilização para levar centenas de milhares de pessoas à capital gaúcha contra o julgamento-farsa armado para condenar e afastar da eleição presidencial a maior liderança popular do País e líder disparado nas pesquisas de intenção de voto, não pará de crescer.

A maior organização sindical do País, a Central Única dos Trabalhadores (CUT), divulgou nota já em dezembro, na qual denuncia que “forças golpistas” apostam na condenação de Lula  “pelo Tribunal Regional da 4ª Região” a fim de “inviabilizar sua candidatura” para o que “através de um processo inédito de aceleração de procedimentos processuais, o julgamento foi marcado para o dia 24 de janeiro”.

 

“Golpe dentro do golpe”

 

A CUT que foi a principal organização de massas na luta contra o golpe, assinala que “o golpismo está construindo um julgamento como um jogo de cartas marcadas sem que haja provas contra Lula, uma crônica cujo desfecho já foi anunciado. Se isto acontecer, será não apenas o golpe dentro do golpe, mas a tacada decisiva dos golpistas para impedir que a maioria da população eleja Lula como Presidente da República, o candidato que desponta como favorito nas pesquisas e que irá reverter as medidas nefastas implementadas pelo governo Temer. Será o mais duro golpe contra a Democracia”.

De forma correta,  “a CUT denuncia este julgamento como farsa e alerta: Eleição sem Lula é fraude!” e faz um chamado às suas “suas bases para defender a candidatura de Lula, ocupar a cidade de Porto Alegre no dia 24 de janeiro e impedir que esta injustiça aconteça” e ainda destaca que “é nossa principal tarefa neste momento histórico. É o futuro da sociedade brasileira que está em jogo.”

A inciativa da CUT, adotada de forma semelhante às deliberações no sentido de uma ampla mobilização contra a condenação de Lula, pela I Plenária Nacional dos Comitês de Luta Contra o Golpe e pela Anulação do Impeachment, realizada em Belo Horizonte, nos dia 16 e 17 de dezembro, com a participação do Partido da Causa Operária (PCO); impulsionaram decisões semelhantes de outros importantes setores que participaram ativamente da luta contra o impeachment como a Frente Brasil Popular, o PT e outros movimentos em todo o País, tais como a o MST, CMP, MTST etc.

Calendário da CUT

Veja abaixo as principais atividades divulgadas pela direção nacional da CUT. Além destas, estão sendo preparados atos e outras atividades em todos os estados.

dia 15/01 – Debate com juristas em defesa do Lula em São Paulo (local a definir)

dia 21/01 – Ato em defesa de Lula, da democracia e por uma Justiça imparcial na Avenida Paulista

dia 22/01 – Debate com juristas sobre as contradições e falhas do processo na Faculdade de Direito da USP

dia 23/01 – Início de uma vigília que vai até o dia 24 em frente ao prédio da Justiça Federal, em São Paulo

No final da tarde, embarque dos apoiadores que irão para Porto Alegre

dia 23/01 – às 11h – Ato das mulheres em Porto Alegre

dia 24 – Atos em todos os estados com todos que não puderam ir a Porto Alegre

Acompanhamento do julgamento de Lula em frente ao prédio do TRF4