A luta tem que ser na rua
Achar que os patrões e seu governo vão resolver a questão dos trabalhadores, como as demissões e dar crédito a quem está fazendo o país retroceder ao período colonial
Manifestation_of_the_CUT_in_Brasilia
Ato de trabalhadores | Foto: Reprodução
Manifestation_of_the_CUT_in_Brasilia
Ato de trabalhadores | Foto: Reprodução

Desde os primeiros dias de 2021, mais precisamente há 11 dias, na primeira terça-feira (05) de janeiro está em debate a questão da luta dos trabalhadores contra os ataques dos patrões e seus governos. Nessa data, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e demais entidades, resolveram elaborar um plano de luta que exclui concretamente a participação dos trabalhadores em uma ação de luta direta contra os principais responsáveis pela situação trágica que os trabalhadores estão vivendo nesse momento.

O presidente da CUT e demais entidades, conforme haviam relatado anteriormente, que iriam entregar a proposta do plano de lutas, que contem cinco tópicos, quais sejam: vacinação contra o coronavírus, com a participação dos hospitais privados, o que deveria ser totalmente gratuito, servirá para o aumento do lucro dos exploradores da saúde da população; manutenção do auxilio emergencial, com base na esmola dada de R$ 600,00 e depois reduzida à metade, ou seja, R$ 300,00 até que, no final de dezembro foi extinta; na expectativa de que os patrões, o governo golpista, o judiciário, em suma, os que fizeram os trabalhadores sofrerem as piores atrocidades, bem como, demitiram e criaram Medidas Provisórias reduzindo salários, suspendendo contratos de trabalho, para, finamente deixar esses mesmos patrões demitissem, elevando ao extremo o número de desempregado no país, venham da proteção social e emprego, etc..

Na mesma semana em que elaboraram o documento, já entregaram para um dos candidatos ao posto de presidente da Câmara dos Deputados, o golpista, empresário latifundiário, Arthur Lira PP-AL.

Na quarta-feira (14) se reuniram na manhã desta quinta-feira (14), em São Paulo, com o golpista e deputado federal Baleia Rossi, MDB-SP, do mesmo partido de um dos principais articuladores do impeachment de Dilma Rousseff, em 2016, Michel Temer. Baleia Rossi, empresário de Ribeirão Preto e também postulante à presidência da Câmara dos Deputados, um dos deputados golpistas, que votaram a cassação de Dilma, ajudando assim ao aprofundamento do golpe, onde o ex-presidente Lula foi preso por 580 dias e, mesmo assim vem recebendo o apoio da camada “Frente Ampla”, onde estão juntos, PCdoB, PDT, Rede, PSDB, DEM, PSB, PT, PSOL e o próprio MBD.

Da mesma forma que fizeram com o golpista Arthur Lira, fizeram com o Baleia Rossi entregando o documento com as propostas.

Ambos os deputados Arthur Lira e Baleia Rossi que, longe de dar qualquer apoio aos trabalhadores, são grandes empresários que, defendem a destruição dos sindicatos, de qualquer luta dos trabalhadores, para eles o lucro é o que importa, mesmo que tenham que fazer os operários de escravos, ambos inclusive defenderam a fraudulenta eleição de 2018, onde colocou o fascista Bolsonaro no poder.

O artigo do dia 14 da CUT fala sobre a situação da Ford, dizem “que é preciso ter uma solução para o drama por que passam os trabalhadores da Ford, depois do anúncio do fechamento das três fábricas no país, nos estados de São Paulo, Bahia e Ceará, que acabará com cinco mil empregos”. No entanto a situação está se alastrando por inúmeras empresas e de diversos ramos de atividades e, de fato e preciso tomar uma atitude, porem, não há possibilidade de qualquer conciliação de classe, onde os mais de 14,2 milhões de desempregados no país devem ser debitadas na conta desses sanguessugas dos trabalhadores.

É preciso ir às ruas, tirar propostas em todas as fábricas, bancos, comércios, enfim, onde quer que tenha trabalhadores, além de chamar os desempregados, desalentados, subempregados, movimentos sociais, como o MST, etc. para de conjunto poder impor uma derrota ao estado de coisas que o golpista Bolsonaro esta deixando o povo, inclusive com sua retirada do poder, ao qual está ilegitimamente, bem como todos os golpistas. E preciso, ainda, chamar uma greve com ocupação de fábrica, bem como, todas as instalações, etc..

A CUT, única organização representativa da classe trabalhadora no país tem que tomar para si essa tarefa.

Relacionadas
Send this to a friend