Demissões na Cultura
Secretário da cultura bolsonarista Mario Frias derruba antigos funcionários nomeados por Regina Duarte
9496063097_06788a94dd_o (1)
Para o governo Bolsonaro cultura não é prioridade | Coletivo Mundo.

 

O novo Ministro da Cultura Mário Frias do governo golpista de Jair Bolsonaro mal assumiu o cargo e já promoveu a exoneração de membros da atual equipe, composta por escolhidos da ex-secretária Regina Duarte. Os demitidos são Heber Trigueiro, roteirista que tem no currículo os filmes “Federal”e “Senta e Puá”, quarto secretário de audiovisual do governo Bolsonaro e Caio Kitade, sem nenhuma experiência na área da cultura e da arte.

Alguns no meio tem considerado as demissões como um grande prejuízo para o audiovisual brasileiro, mas o fato é que o governo de Jair Bolsonaro tem se empenhado arduamente para destruir a cultura desde 2018, quando assumiu a presidência por meio de uma grande fraude, eliminou praticamente todas as vias institucionais de financiamento e politicas de fomento a arte e cultura nacionais realizando grandes estragos, principalmente na produção audiovisual que tinha aumentado muito anteriormente. Acabou com o ministério da cultura  e criou uma secretária, que teve como único objetivo promover o desmonte da área, instrumentalizando pessoas extremamente reacionárias.

Exemplo disso são os secretários convidados pelo presidente, Roberto Alvim quando assumiu a secretária fez um discurso em que se apropriava totalmente da estética nazista para representar a elaboração das políticas futuras pra cultura, fica destacada também a passagem de Regina Duarte, a quem alguns chamam de atriz,  participou ativamente da propaganda antipetista promovida pela direita brasileira durante várias eleições. Mário Frias nada mais é do que um sólido apoiador da extrema direita, permanece fiel a política bolsonarista e quase implorou ao presidente para ganhar o cargo.

Nunca é demais repetir, que com esse governo de pé, comprometido a estraçalhar o Brasil nada de positivo há de vir, os membros da secretária demitidos, e os próprios secretários que por ela passaram, tinham e tem pleno acordo com a política do governo, Bolsonaro procura centralizar todas as ações e não escolheria quem não fosse conivente e obediente as suas posições. A dança das cadeiras em seus ministérios torna isso evidente.

Para promover a cultura e arte do povo e para o povo brasileiro e acabar com a destruição que esta sendo levada a frente é preciso derrubar o governo Bolsonaro e todos os seus lacaios.

 

 

Relacionadas