Inquisição dos dias de hoje
O cancelamento é a condenação da inquisição dos tempos atuais.
Inquisição (1)
Cena de uma inquisição | Foto: Francisco Goya/Real Academia de Bellas Artes de San Fernando
Inquisição (1)
Cena de uma inquisição | Foto: Francisco Goya/Real Academia de Bellas Artes de San Fernando

O cancelamento é o ato de repudiar, xingar, boicotar uma pessoa famosa e tem se tornado cada vez mais presente nas redes sociais, especialmente nos meios culturais. Na maioria dos casos, a figura pública é acusada de alguma injustiça social ou crime, muitas vezes sem provas contundentes. E, como punição, é “cancelada”. As ofensas e boicotes chegam a ponto de procurar excluir a pessoa e relegá-la a um verdadeiro ostracismo.

A maioria dos grupos e pessoas que participam ativamente no cancelamento de famosos são adeptos de uma ideologia identitária, e portanto, acreditam que é necessário mudar à força o pensamento e a opinião das pessoas . Por conta de uma suposta injustiça social, segundo o juízo da pessoa ou do grupo, o ato rejeitável é exposto publicamente e é promovida uma campanha de ostracismo contra a pessoa em questão para retirar coisas importantes de sua vida, como por exemplo, o emprego. Na prática, é uma postura religiosa de exigir que os artistas se enquadrem em definições morais diversas das pessoas, o que é uma réplica absurda da inquisição.

Neste processo inquisidor, raramente é analisada a contribuição do famoso para a Cultura, e toda esta perseguição ignora totalmente o que foi feito pelo artista para a sociedade como um todo, em detrimento daquilo que supostamente este teria feito contra uma pessoa, um animal, ou qualquer outra coisa. É óbvio que se trata de uma histeria coletiva pois a atitude não contribui em nada com o esclarecimento político das pessoas.

Pelo contrário, ao impedir que as pessoas falem e se manifestem, a única conclusão é de que o cancelamento é um ato de censura que impede que os temas polêmicos sejam discutidos de forma calma e sensata, com possibilidade de que a pessoa mude de posição. Não é necessário julgar o artista por sua atuação política, mas por sua contribuição artística para a Cultura.

Como toda censura, o cancelamento é um ato político reacionário, não revolucionário. Por exemplo, em alguns casos, comentários de anos atrás feitos e registrados na internet são utilizados para iniciar uma campanha pelo cancelamento, desconsiderando que o famoso pode ter mudado de posição. É preciso que a defesa da liberdade de expressão e dos direitos democráticos seja uma defesa de princípios. Independentemente de qual a opinião, qualquer pessoa deve poder expressá-la, por mais direitista ou preconceituosa que seja.

É importante garantir a liberdade de expressão pois é fundamental para a política e também para a arte. Não se pode censurar uma obra de arte por não concordar com aquilo que ela supostamente representa ou simboliza. Por exemplo, quando um humorista faz uma piada, é preciso defender que ele possa fazer humor, como assinalamos sobre Danilo Gentili, Rafinha Bastos, etc. Assim como um político deve ser livre para se expressar como desejar.

Relacionadas
Send this to a friend