Conquista da Revolução
Neste 19 de agosto, a estratégia para desenvolvimento da Soberana foi a apresentado oficialmente no Palacio de la Revolución
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
f0176455 (1)
Candidata a vacina contra Covid-19 teve seu primeiro teste em humanos e segue para ensaio clínicos | Foto: BioCubaFarma

Nesta quarta-feira dia 19 de agosto, a estratégia para desenvolvimento da Soberana foi a apresentado oficialmente no Palacio de la Revolución durante um encontro com o Presidente da República de Cuba Miguel Díaz-Canel Bermúdez. A Soberana é a primeira candidata cubana a vacina contra o covid-19 a obter autorização para os ensaios clínicos.

 

Em uma explicação detalhada o diretor geral do  Instituto Finlay de Vacunas, Vicente Vérez Bencomo, líder do projeto da Soberana informar que o estudo teve aprovação do Centro para el Control Estatal de Medicamentos, Equipos y Dispositivos Médicos (Cecmed) que é a autoridade reguladora de medicamentos, equipamentos e dispositivos médicos na República de Cuba e que o início dos ensaios clínicos está previsto para já nesta próxima segunda-feira, dia 24 de agosto.

 

Segundo Bencomo, essa candidata a vacina pesquisada apresenta baixos riscos, poucas incertezas, com respostas de  alta concentração de anticorpos camundongos e coelhos. A candidata a vacina foi testada pela primeira vez em humanos no dia 28 de julho, em três dos pesquisadores que a desenvolviam, os três obtiveram uma alta resposta imunológica e estão aguardando a segunda dose, mas os resultados são animadores.

 

A Soberana inicialmente identificada pela siglas FINLAY-FR-1, é a primeira candidata a vacina na América do Sul e Caribe a recebe autorização para ensaios clínicos e a trigésima no mundo das mais de 200 candidatas a vacina contra a covid-19 a obter a autorização. Os estudos de ensaio clínico serão divididos em duas fases, a primeira com início no dia 24 de agosto e a segunda como início no dia 11 de setembro.

 

Na primeira fase serão inoculados dois grupo de 20 pessoas, um com idade entre 19 e 59 anos, o outro com idades entre 60 e 80 anos. Na segunda mais 636 serão inoculadas, compretando a amostra total de 676 voluntários. A programação é que vacina esteja pronta e em produção em janeiro de 2021.

 

Segundo o presidente Presidente Díaz-Canel: ”o nome da vacina reflete o sentimento de patriotismo e compromisso revolucionário e humanista com que tem trabalhado, e também o compromisso com o fundacional, e quando falamos de fundacional, estamos falando do Comandante em Chefe”, a produção de um a vacina independente é um acontecimento que evidencia a força da medicina cubana advinda da revolução, ainda nas palavras de Díaz-Canel “Explorações como essas de nossa ciência estão entre as coisas que reafirmam cada vez mais o orgulho de ser cubano.”

 

Um país tão pequeno e pobre consegue produzir a vacina que os monopólios multinacionais da indústria farmacêutica ainda não conseguiram, é algo surpreendente. Temos que exaltar e muito esse acontecimento, que demonstrar e até comprova a decadência do capitalismo sob o domínio dos monopólios, que impedem todo desenvolvimento, inclusive da ciência e da tecnologia.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas