Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Dzefas6WwAAESyy
|
Nações Unidas, 24 abr (Prensa Latina)* A representante permanente alternada de Cuba na ONU, Ana Silvia Rodríguez, denunciou hoje na Assembleia Geral o fortalecimento do bloqueio dos Estados Unidos contra a ilha e suas novas sanções unilaterais.

 

O bloqueio não só se mantém, mas se reforça com a recente decisão de Washington de permitir que adiante se tomem ações em tribunais norte-americanos ante demandas judiciais contra entidades cubanas ou estrangeiras fosse da jurisdição dos Estados Unidos, alertou.

As novas disposições da administração da Casa Branca impedem também a entrada de diretores, e seus familiares, de empresas que investem legitimamente em Cuba em propriedades que foram nacionalizadas, detalhou.

Além disso, o embaixador nos Estados Unidos enviam a seus familiares e amigos na ilha, e rejeitou a restrição de viagem impostas a cidadãos norte-americanos se desejam ir ao país caribenho.

Estados Unidos aplica agora sanções financeiras adicionais contra Cuba, uma nação que há 60 anos caracteriza por seu internacionalismo, anti-imperialismo, solidariedade e unidade junto aos mais pobres, ressaltou.

Meu país tem contribuído a melhorar as condições de vida de outros povos e nações, todo um exemplo para a cooperação Sul-Sul, indicou.

Rodríguez reiterou, além do mais, a solidariedade da ilha com Venezuela, esse é um direito de Cuba e um dever que faz parte da tradição e os princípios irrenunciáveis da política exterior da Revolução, assegurou.

Nenhuma ameaça, nenhuma chantagem ou ultimato dos Estados Unidos desviará a conduta internacionalista da nação cubana, apesar dos danos do bloqueio, reafirmou a embaixadora.

Nesse sentido, alertou que a América Latina e o Caribe resulta cenário de persistentes ameaças incompatíveis com a declaração como zona de paz feita pela Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos.

Assim, a embaixadora confirmou o compromisso de Cuba de trabalhar junto à ONU em prol do estabelecimento de uma ordem internacional democrático e justo, que responda ao reclamo de paz, e justiça dos povos.

Em seu discurso no evento de alto nível pelo Dia Internacional do Multilateralismo e a Diplomacia para a Paz, Rodríguez manifestou que não deve ser assumido esta data como uma simples celebração, mas como uma reafirmação do dever e a responsabilidade coletiva de preservar a paz.

O Governo de Havana continua comprometido com a defesa e a promoção do multilateralismo, assegurou, em um contexto marcado por crescentes ameaças à paz e a segurança, guerras não convencionais, grosseiras violações à soberania, tentativas de impor uma ordem unipolar e sanções unilaterais.

Por isso, acrescentou a embaixadora, é tão importante o respeito à soberania, a integridade territorial, a não intervenção em assuntos internos, e abster da ameaça ou o uso de de a força, bem como apostar pela resolução pacífica de controvérsias.

Segundo destacou, é hora de pôr fim à manipulação, politização e dupla moral em temas como os direitos humanos, e acabar com as leis extraterritoriais como o bloqueio imposto a Cuba por Estados Unidos há mais de 60 anos e que conta com 27 resoluções de rejeição por parte da Assembleia Geral da ONU.

* Os artigos reproduzidos não expressam necessariamente a opinião deste diário ou do Partido da Causa Operária
Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas