Imperialismo
Agência imperialista dos EUA é denunciada por patrocínio a tentativas de golpe contra o governo cubano
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
President Barack Obama and Secretary of State Hillary Rodham Clinton pose for a photo with USAID staff at the U.S. Embassy in Rangoon, Burma, Nov. 19, 2012. Participants include: Nisha Biswal, USAID Assistant Administrator for Asia Bureau; Chris Milligan, USAID Burma Mission Director; and Greg Beck, USAID Deputy Assistant Administrator. (Official White House Photo by Pete Souza)
This photograph is provided by THE WHITE HOUSE as a courtesy and may be printed by the subject(s) in the photograph for personal use only. The photograph may not be manipulated in any way and may not otherwise be reproduced, disseminated or broadcast, without the written permission of the White House Photo Office. This photograph may not be used in any commercial or political materials, advertisements, emails, products, promotions that in any way suggests approval or endorsement of the President, the First Family, or the White House.
Obama e Clinton levando a "Democracia" aos países atrasados. USAID sempre envolvida | Foto: Pete Souza/Casa Branca
Havana, 31 out (Prensa Latina) Os fundos da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) servem como fachada para o financiamento de atividades subversivas contra Cuba, foi aqui denunciado hoje.
A mídia local Granma destaca que a USAID e o National Endowment for Democracy (NED) mascaram as ações da Agência Central de Inteligência do país do norte, e trabalham como um canal para fundos contrarrevolucionários.

Ele cita o site do Projeto Cuba Money, criado pela jornalista americana Tracey Eaton, que indicou que a quantia destinada a programas de subversão contra a ilha, desde 1990, era de mais de $261 milhões.

O texto lembra que somente desde a chegada do republicano Donald Trump à Casa Branca, em janeiro de 2017, o Usaid investiu quase 50 milhões de dólares em suas tentativas de mudar o sistema político da maior das Antilhas.

Acrescenta que recentemente o administrador interino da agência norte-americana, John Barsa, juntou-se à campanha contrarrevolucionária da organização não governamental com sede em Madri, o Observatório Cubano de Direitos Humanos, que recebe 250.000 dólares por ano do NED e 127.000 do Usaid.

Da mesma forma, ambas as organizações alocam fundos para a mídia privada na ilha, em ‘uma verdadeira dança de milhões para tentar derrotar a Revolução Cubana’, disse ele.

O Usaid foi criado em 3 de novembro de 1961, supostamente para colaborar com o desenvolvimento econômico e social da América Latina, mas na realidade seus fundos financiam a repressão contra países, organizações, movimentos ou pessoas com ideias esquerdistas ou progressistas, disse ele.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas