Cruzeiro “passeia” em São Januário e elimina o Vasco da Gama da Libertadores

Cruzeiro

Em partida válida pelo grupo E da Taça Libertadores – composto por dois times brasileiros (Cruzeiro e Vasco), 1 argentino (Racing) e 1 chileno (Universidad de Chile) – o Cruzeiro aplicou uma goleada no Vasco da Gama, eliminando o representante carioca da competição continental.

Ao Vasco só restava a opção da vitória, pois ainda não havia vencido nenhum confronto, registrando duas derrotas e dois empates. Era a oportunidade para o time se reerguer e manter a acesa a luta pela classificação, disputando com o próprio Cruzeiro e o Racing as duas vagas do grupo.

Mas os comandados do técnico Zé Ricardo se mostraram impotentes diante da franca e incontestável superioridade técnica do time mineiro, que chegou aos quatro gols sem maiores dificuldades, quase em ritmo de treino. Vale registrar que dois gols dos “azuis” foram assinalados de forma irregular. No primeiro, o atacante cruzeirense estava em posição de impedimento e no quarto gol, assinalado por Sassá, houve falta do atacante no zagueiro vascaíno.

Todavia, a superioridade dos mineiros era tão flagrante que mesmo se os dois gols fossem anulados, em nada alteraria o resultado final. O Cruzeiro, num determinado momento da partida, inclusive desacelerou, passando a tocar a bola e não “forçar a barra”, para que o vexame ainda não fosse maior para os cruzmaltinos. A partida ficou interrompida por alguns minutos em função de um princípio de tumulto nas arquibancadas, envolvendo os próprios torcedores vascaínos.

O cartola Eurico Miranda e o novo presidente do clube – Alexandre Campello – apoiado por Eurico, estavam presentes ao estádio e presenciaram a eliminação do time. Eurico se retirou antes do fim da partida, quando já não havia mais nada a fazer para reverter a derrota.

Os gols do Cruzeiro foram assinalados por Leonardo, Thiago Neves e Sassá, que marcou duas vezes. Três gols foram marcados ainda no primeiro tempo e o quarto veio na etapa complementar. Com o resultado, a “Raposa” assumiu a liderança do grupo, com o mesmo número de pontos do Racing (8), mas com um saldo de gols superior ao time argentino. A terceira posição está com os chilenos do Universidad, com 5 pontos. Somente o Vasco está matematicamente eliminado. Os chilenos ainda têm chances, embora muito remotas.

Independiente-ARG derrota o Corinthians jogando na casa do adversário

Pelo Grupo G, os argentinos do Independiente visitaram o Corinthians e deixaram um gosto amargo na sempre imensa fiel torcida que compareceu ao estádio. O “Timão” foi derrotado pelo time argentino, que é um dos maiores detentores de títulos da competição. A partida terminou com o marcador em 2 x 1, com direito a 1 gol contra de Romero e a expulsão de Emerson Sheik. Os argentinos abriram o placar logo aos dois minutos, numa boa troca de passes do ataque para a conclusão de Martim Benitez, que completou para as redes depois de um rebote de Cássio. O Independiente ampliou o placar ainda no primeiro tempo, numa infelicidade de Romero, que tentou cortar de cabeça um escanteio e mandou para as redes, surpreendendo o goleiro Cássio. O Corinthians descontou com Jadson aos 32 muinutos, depois de uma bola enfiada por Romero que deixou o atacante em excelente condição para apenas deslocar o goleiro argentino.

Na segunda etapa o panorama geral não se alterou muito, pois os donos da casa não conseguiam encaixar suas principais jogadas com Rodriguinho e Jadson. Por sua vez, a defesa do Independiente estava bem plantada e neutralizou as investidas esporádicas do ataque corintiano. Mesmo com a derrota, o Corinthians continua liderando o grupo com 7 pontos, seguido do Independiente e do Deportivo Lara-VEN, ambos com 6 pontos. O Millionarios-COL é o lanterna do grupo com apenas 4 pontos. Neste grupo, ninguém ainda está matematicamente eliminado, embora as chances maiores de classificação estejam com o Corinthians e o Independiente. Os venezuelanos do Deportivo Lara, no entanto, podem aparecer como uma surpresa.