Crise na campanha de Bolsonaro: Paulo Guedes cancela eventos de campanha

Economista Paulo Guedes durante evento no Rio de Janeiro

O vice de Bolsonaro, o gereral da reserva Hamilton Mourão, e o economista Paulo Guedes, responsável pelo seu programa de governo, têm se revesado em dar declarações em eventos públicos, que expressam o caráter absolutamente reacionário, antipovo e golpista de sua candidatura.

Na realidade, nada mais natural, afinal toda a trupe de Bolsonaro, a começar pelo próprio candidato à presidente, são defensores da ditadura militar no país como a forma “mais fácil” para promover um ataque sem precedentes às condições de vida das massas e a completa subordinação do país ao imperialismo norte-americano.

Para os “verdadeiros donos do golpe”, o problema não está no conteúdo das declarações – até porque essa, também, é a sua política -, mas quando enxergam nelas uma via para aprofundar a manipulação eleitoral, derrotar o espantalho Bolsonaro das eleições e impor o seu verdadeiro candidato “limpinho e cheiroso”, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

É curioso. Quando não era do interesse dos golpistas, os meios de comunicação venais, tipo Globo, Estadão, Folha de São Paulo, secundarizaram ou justificaram todas as barbaridades declaradas, pela trupe fascista. Da defesa do golpe militar aos atentados à caravana de Lula pelo sul do país passando pelo assassinato da vereadora Marielle, os atentados ao acampamento Maria Letícia, aos inflamados discursos em defesa da tortura, do fuzilamento da Rocinha no Rio de Janeiro e dos “petralhas”.

De fato é curioso, mas não misterioso. A burguesia tinha como eixo central excluir o único candidato que é a expressão da luta contra o golpe no país. Bem sucedidos no seu intento, o próximo passo é o de esvaziar a candidatura da antítese de Lula e substituí-lo pelo seu verdadeiro candidato, o candidato do “bem contra o mal”.

Nesse momento, é díficil afirmar se Mourão e Paulo Guedes, são simplesmente espantalhos menores ou se estão a serviço dos “donos do golpe”para ajudar a implodir a sua candidatura.

É fato que a recriação da CPMF, como pregado por Guedes, é altamente impopular, mas a recriação desse imposto é o sonho de consumo dos golpistas. O fato do guru econômico de Bolsonaro  cancelar seguidos eventos da campanha é sintomático da crise na candidatura. Os próximos dias esclarecerão como o golpe manipula o tabuleiro das eleições.