Crise insustentável: Estadão pede a renúncia de Moro

sergio-moro

Em editorial do dia 11 de junho, o jornal O Estado de São Paulo, ou o Estadão, atacou intensamente a Lava Jato. Por conta das últimas informações divulgadas pelo The Intercept, mostrando a conspiração entre os procuradores da Lava Jato e o então juiz Sérgio Moro para prender Lula sem provas, o jornal golpista pediu a renúncia do Ministro da Justiça de Bolsonaro.

Isto é, se exigem a renúncia de Moro, falando que o ministro é “insustentável”, estão validando toda a denúncia contra a Lava Jato, reconhecendo que a operação não passa de uma fraude, e que a “luta contra a corrupção” não passava de um pretexto – o que inclusive eles chegam a mencionar no editorial.

As informações que foram para o The Intercept surgiram de dentro da burguesia golpista, provavelmente de uma ala dos golpistas que estão vendo, pressionados pela reação popular contra a direita, que manter a Lava Jato, que está começando a atacar estes setores, é insustentável.

Querem acabar com a Lava Jato, aproveitando a fraqueza da ala bolsonarista, para derrotar politicamente este grupo. Ao mesmo tempo, analisando o editorial do Estadão, parece que um setor da burguesia está percebendo que a Lava Jato prejudica a própria estabilidade do golpe de Estado.

O fato mostra que a crise do regime golpista é muito grave. Não dá mais para continuar deste jeito. Por isso, o Estadão, um dos principais jornais da burguesia no Brasil, está pedindo a renúncia de um dos ministros de Bolsonaro, com medo da mobilização popular pela liberdade de Lula.