A crise do país começou com as liberdades de 1988, diz general demitido por Lula

​Evidenciando que a campanha dos chefes militares a favor de um golpe ou “intervenção militar” – como a direita gosta de anunciar – não para, o general Maynard Marques de Santa Rosa, general Maynard Marques de Santa Rosa publicou em um blog autorizado no site do Exército Brasileiro, matéria criticando a Constituição Federal, a quem – supostamente – deveria respeitar e defender.

O militar, que foi exonerado por Lula em 2010, por ter feito críticas desrespeitosas à Comissão da Verdade, em seu artigo intitulado “Esquizofrenia Social” aponta a propria Constituição como responsável pela situação – que alguns militares já apontam como sendo de caos, para justificarem a necessidade da “intervenção” – alegando que “O Brasil, por mais de quatro décadas [ou seja, desde o final da ditadura militar, NR], tem sido vítima de campanhas ‘construcionistas’, que subverteram os valores sociais e desnortearam o senso comum. O bombardeio populista e ideológico, a partir da Constituinte de 1988, consolidou uma cultura de direitos sem deveres e minou o princípio da autoridade. O resultado mostra-se nos indicadores de corrupção, violência e impunidade. Para agravar esse quadro, escasseiam-se as lideranças políticas”. [in https://eblog.eb.mil.br/index.php/gen-ex-maynard-marques-de-santa-rosa]

Expressando  claramente sua pregação golpista o  general de exército, anuncia o  fim do regime atual, afirmando “chegamos, assim, ao limiar da ordem política, econômica, social e jurídica” e anuncia que “é hora, portanto, de reação”, em sua linguagem codificada que se soma à tantas outras pregamos golpistas.

Fica evidente que as ameaças dos militares, que não sofrem qualquer tipo cerceamento pela pregação golpista, mas – pelo contrário – tem cada vez mais espaço para fase-lo, vão tornando  a “alternativa” do golpe militar uma “saída” cada vez mais real para a direita diante das evidentes dificuldades da direita em impor seus planos diante da crescente revolta popular que se manifesta na crescente mobilização contra a condenação fraudulenta dox e-presidente Lula.