Crise do imperialismo: membro crucial da OTAN, Turquia vai comprar sistema de mísses russo

turkey

Após a tentativa fracassada de golpe na Turquia, orquestrada por uma facção das forças armadas contra o atual presidente, Recep Tayyip Erdogan, este último vem se aproximando da Rússia. Erdogan é um político representante do nacionalismo turco, e sua política é um impasse para o desenvolvimento da política do imperialismo.

Além da Turquia ser um importante país, no ponto de vista da força bélica, já que tem o maior exército da OTAN dentro do continente eurasiano, o país também é importante no quesito dos recursos e da estratégia do imperialismo e da OTAN de cercar a Rússia, ameaçando-a e assediando-a. A desvinculação da Turquia com o imperialismo representa uma profunda crise dentro da hegemonia política dos monopólios capitalistas.

Recentemente, Erdogan anunciou que iria comprar, apesar da oposição norte-americana, o altamente desenvolvido sistema S-400 de mísseis russos, considerado pelos especialistas um dos mais desenvolvidos do mundo, podendo lançar múltiplos mísseis com alcance de 400 quilômetros. Os integrantes da OTAN vêm com superstição esta ação dos turcos. O imperialismo está perdendo um dos principais integrantes de sua aliança militar, que tem a mesma origem da crise política da União Européia: a crise do capitalismo internacional.