Crise do imperialismo: guerra comercial de Trump contra a China contraria interesses dos maiores especuladores

trump china

Da redação – A crise do imperialismo se aprofunda. As duas maiores economias do mundo, a China e os Estados-Unidos, entraram em uma profunda guerra econômica, impondo uma à outra uma tarifa de bilhões de dólares em produtos de cada um. As tarifas americanas sobre bens chineses, incluindo aí automóveis, maquinaria e metais, têm um valor de 16 bilhões de dólares.

A China contra-atacou e indicou que iria começar uma “guerra jurídica” na Organização Mundial do Comércio contra o aumento norte-americano. Em Julho, os EUA já tinha imposto uma tarifa sobre produtos com valor total de 34 bilhões de dólares, incitando a China a contra-atacar. Agora, já atingiu importações chinesas com valor de 50 bilhões de dólares. Ameaçando subir para 200 e até 500 bilhões de dólares.

Essa política fez com que Trump entrasse em uma profunda crise com os especuladores norte-americanos, o setor mais forte do imperialismo que financiou a campanha de HIllary Clinton e está financiando o golpe contra o presidente republicano. A crise do imperialismo se aprofunda cada vez mais junto com as contradições do sistema político.