Crise do golpe começa no combustível, passa pelos hospitais e pode levar o país ao cemitério

temer hosp

O quinto dia da greve dos caminhoneiros, gerada pela política golpista, começa a afetar seriamente a urgência e emergência de hospitais por todo o país. Segundo a Confederação Nacional de Saúde (CNS), o atendimentos de diversos setores, em diversos hospitais, está em crise com a falta de produtos fundamentais para a vida dos pacientes, tais como: gás medicinal, material anestésico, medicamentos, insumos para tratamento de água, entre outros.

Como dito insistentemente por esse diário, esse caos criado pela política golpista de entrega das empresas nacionais irá se espalhar por toda a economia se o golpe não for derrotado, levando assim os preços de produtos que anteriormente eram nacionais a níveis insustentáveis, como aqui foi empurrado goela à baixo por Pedro Parente (novo presidente golpista da Petrobrás), visando sempre garantir o maior lucro aos tubarões e lobistas.

Os efeitos mais sérios desse golpe aparecem agora em forma de uma crise total da sociedade. A vida dos trabalhadores está em jogo, pois não temos combustível para os transportes, a produção de alimentos está comprometida, e agora, os serviços mais básicos, como a saúde, estão entrando em colapso. Essa é a política dos golpistas para a população: o cemitério.