Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
jean-wyllys
|

O ex-deputado Jean Wyllys, do PSOL, criticou, em sua conta no Twitter, a ilegal Operação Lava Jato, após o escândalo causado pelas revelações do sítio The Intercept. Ele reproduziu o mesmo questionamento que recebeu de jornalistas europeus: “Do lado de cá, jornalistas se e me perguntam: como esses criminosos ainda se mantêm de pé?”

Essa pergunta tem uma resposta simples: os criminosos da Lava Jato se mantêm de pé porque a esquerda foge do pau, foge da briga com a direita. E o exemplo maior é justamente o próprio Wyllys, que fugiu literalmente.

Apesar de todos os crimes da direita, de ela agir na arbitrariedade, a esquerda não faz nada para combatê-la ou mesmo para denunciá-la. A Lava Jato não existiria se a esquerda tivesse organizado o movimento popular para a luta nas ruas contra o golpe desde 2012, quando já era possível perceber que o Mensalão era uma manobra da direita para derrubar o PT.

A Lava Jato não existiria (ao menos não com a força devastadora contra os direitos democráticos e a economia nacional que ela demonstrou) caso a esquerda pequeno-burguesa não tivesse entrado na onda do falso combate à corrupção. Foi justamente o PSOL um dos principais apoiadores dessa operação de perseguição político no meio da esquerda. Será que Wyllys se esqueceu da famosa palavra de ordem de Luciana Genro, “Viva a Lava Jato”?

Os coxinhatos fascistas não seriam possíveis caso a esquerda tivesse tratado a extrema-direita como ela deve ser tratada: tendo a cabeça cortada logo no início de seu crescimento. Se a esquerda tivesse mobilizado os trabalhadores para impedir o impeachment de Dilma, se tivesse criado comitês de autodefesa para se proteger das agressões fascistas ao invés de acreditar nas instituições burguesas que deram o golpe, a Lava Jato não teria nenhuma base social para atuar sob a pretensa “legitimidade popular”.

Jean Wyllys tem responsabilidade nesse caso. Como deputado pequeno-burguês, incentivou a crença nas instituições golpistas, contribuindo para a desmobilização popular nas ruas. Diante da ameaça do fascismo, deu o pior exemplo que algum dirigente de esquerda pode dar para os trabalhadores: fugiu do País, ao invés de organizar uma verdadeira resistência, unindo a esquerda aos trabalhadores, camponeses, estudantes, em combates concretos como a formação de comitês de autodefesa e de luta contra o golpe.

A direita sempre avança apenas quando a esquerda abre o caminho, quando ela recua. Quando ela foge do pau. A direita deve ser enfrentada e esmagada, caso contrário quem sofrerá esse destino será a esquerda e as organizações populares e democráticas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas