Conspiração contra o povo
É preciso utilizar toda a desmoralização da operação golpista para exigir a anulação de todos os processos contra os seus perseguidos políticos; em especial, o ex-presidente Lula
dallagnol
Deltan Dallagnol | Foto: Ueslei Marcelino
dallagnol
Deltan Dallagnol | Foto: Ueslei Marcelino

Dia após dia, os vazamentos de mensagens entre os membros da Operação Lava Jato vão demonstrando o que já era óbvio para qualquer um: a força-tarefa foi planejada pelo Departamento de Estado norte-americano para derrubar o governo de Dilma Rousseff e impedir que o ex-presidente Lula tivesse um papel decisivo na situação política do País. O interesse do ex-juiz Sérgio Moro e do procurador Deltan Dallagnol em prender Lula já foi comprovado em inúmeras oportunidades, jogando por terra qualquer pretexto de “imparcialidade”.

Ao mesmo tempo, vazamentos também revelaram que Moro protegeu Fernando Henrique Cardoso, deixando claro que a operação tinha um alvo muito específico. A participação dos Estados Unidos também já tinha sido apontada, quando veio à tona uma planilha em que Deltan Dallagnol preparava uma intervenção direta do imperialismo norte-americano em empresas nacionais.

Agora, como se tudo fosse ainda pouco para esfregar a realidade na cara daqueles que se negam a defender a anulação da Lava Jato, um novo vazamento mostra explicitamente Deltan Dallagnol falando que a prisão de Lula teria sido um “presente da CIA”. Isto mesmo: o garoto propaganda da “luta contra a corrupção”, que já havia demonstrado seu servilismo ao criticar os brasileiros por não terem sido colonizados pelos puritanos ingleses, afirmou que um dos mais importantes órgãos de espionagem do imperialismo estaria envolvido na prisão do maior líder popular do Brasil. Embora impactante, a notícia não deveria causar surpresa alguma — a não ser para a esquerda que vive em mundo sem golpe de Estado. Ainda durante o governo Dilma Rousseff, Edward Snowden demonstrou que os Estados Unidos espionavam o Brasil.

A troca de mensagens em que Dallagnol abriu o jogo sobre quem seriam os seus patrões se deu no dia 5 de abril, quando o golpista Sérgio Moro determinou a prisão de Lula. Dallagnol conversava com outros cinco procuradores, todos muito entusiasmados com a prisão:

Isabel Grobba: Moro manda prender Lula.
Deltan Dallagnol: Antes que MA ferre tudo
Creio que devemos ficar quietos neste momento.
Laura Tessler: sim
totalmente quietos
até porque o mandado já disse tudo, kkkk
Isabel Grobba: Está no uol que já foi expedido o mandado.
Deve se apresentar até as 17 horas de amanhã.
Paulo Galvão: Ficará na PF… Novo local de peregrinação em.Curitiba!
Dallagnol: Meooo caneco
Não da nem pra acreditar. Melhor esperar acontecer
Julio Noronha: Exatamente!
Deltan Dallagnol: Temos que pensar a segurança oras próximas semanas
Laura Tessler: eu já vou comemorar hoje
Deltan Dallagnol: Ou melhor, Vcs têm, pq estarei fora do país kkkk
Paulo Galvão: Aqui tá tudo em segurança comigo, não se preocupe
Deltan Dallagnol: Kkkk
Laura Tessler: o problema é vc e CF…o resto é desconhecido
Isabel Grobba: E eu sou a querida!
Paulo Galvão: Deltan na Disney enquanto Lula está preso, isso vai ser noticia!
Mas… Problema
Laura Tessler: é mesmo….pode ir lá dar as boas vindas pra ele, Isabel
Isabel Grobba: hehehe
Paulo Galvão: Não dá p mudar a vida por causa disso
Julio Noronha: No Brasil, mesmo uma decisão judicial amparada no decidido pelo STF, pode não acontecer, mesmo q entre a decisão e o cumprimento sejam apenas horas
Laura Tessler: agora já era…deixa de pessimismo
Julio Noronha: Só o Lula vai mudar de vida!
Welter Prr: Ele tem ate amanha para se apresentar. Depois é foragido
Mas acho que ele vem
Laura Tessler: eles vão armar um bom teatro até amanhã para ele chegar “nos braços do povo”
Paulo Galvão: Com certeza vai fazer um comício as 16h, antes de se apresentar
Deltan Dallagnol: Presente da CIA

A participação direta na CIA na conspiração que levou diretamente à ascensão do fascista Jair Bolsonaro é mais uma das demonstrações da completa ilegalidade da Operação Lava Jato. Por isso, mesmo a burguesia tendo decretado o seu fim, é papel de toda a esquerda defender a anulação completa de todos os processos da operação e a liberdade incondicional de todos os perseguidos políticos.

Na medida em que a Lava Jato passou por cima dos direitos democráticos do povo, ela foi muito utilizada por diferentes setores da burguesia para cumprir com seus interesses. No Rio de Janeiro, por exemplo, um setor importante do MDB foi duramente atingido pela operação. No entanto, não há dúvidas, nem nunca houve, desde seu início, de quem é o maior alvo da Lava Jato: o ex-presidente Lula.

Graças à farsa da Lava Jato, os golpistas conseguiram desestabilizar o governo de Dilma Rousseff, colocaram a militância do PT na defensiva, impulsionaram a extrema-direita, que hoje se constituiu como uma base de apoio estável ao governo Bolsonaro, e ainda impediu que Lula tivesse uma participação mais decisiva na situação política.

O ápice dessa perseguição a Lula foi a sua prisão e, finalmente, a cassação de seu direito de ser candidato em 2018.
Mesmo com toda a farsa vindo à tona, a burguesia não dá mostras de querer anular os processos da Lava Jato, sobretudo os que envolvem o ex-presidente Lula. Por isso, é preciso levar adiante uma campanha nacional pela anulação de todos os processos e pela candidatura de Lula. É Lula ou nada!

Relacionadas
Send this to a friend