Cresce o patrimônio dos patrões da JBS/Friboi e trabalhadores continuam com seus salários congelados

jbs-1

Da redação – Sem acordo coletivo assinado, uma vez que os patrões ofereceram um percentual irrisório de reajuste salarial de 4% e depois saíram de férias, os trabalhadores nas indústrias de carne e do frio, no estado de São Paulo ficam, neste ano, com seu salário congelado.

Os patrões, no entanto, estão com suas contas bancárias cada vez mais volumosas, exemplo disso está no grupo JBS/Friboi, que teve um aumento de 23% no seu patrimônio. Os irmãos Joesley e Wesley Batista, financiadores do golpe de estado em nosso país, ficaram com uma fatia de R$ 2.500.000.000,00.

Os trabalhadores sequer poderão comprar um peru ou chester, mas os patrões já estão gozando suas férias às custas dos seus funcionários que tiveram de suar sangue para o aumento da produção e o enriquecimento de seus exploradores.

Apesar dos resultados, dos lucros obtidos pelos patrões, nas negociações é sempre uma choradeira.

Os trabalhadores que recusaram a proposta irrisória apresentada pelos patrões já disseram que, se não houver propostas que reponham as perdas salariais, haverá paralisação.

E que os patrões abram, imediatamente as negociações.