CR7 na Juventus: operários da FIAT decretam greve

CR7

Da redação – A chegada de Cristiano Ronaldo à Itália gerou reações negativas vindas dos torcedores operários da Juventus que, nesta quarta-feira, 11, anunciaram pelo sindicato dos trabalhadores da Fiat – uma das patrocinadoras da Juventus – que entrarão em greve por dois dias devido à contratação do português.

– Não é aceitável que os trabalhadores continuem fazendo enormes sacrifícios econômicos, enquanto a companhia gasta milhões de euros num jogador. Dizem que os tempos estão difíceis, que precisamos recorrer a redes de segurança social, à espera do lançamento de novos modelos, que nunca chegam. E enquanto os trabalhadores e suas famílias apertam os cintos cada vez mais, a empresa decide investir muito dinheiro em um único recurso humano! Isso é justo? É normal que uma pessoa ganhe milhões, enquanto milhares de famílias não conseguem nem chegar ao meio do mês?” denunciou o comunicado divulgado pelo sindicado.

O valor desembolsado pela “Juve” é de cerca de 100 milhões de euros, de acordo com o sítio italiano “Football-Italia”, mencionando ainda que uma parte desse valor será financiado pela empresa Exor, que pertence a montadora de veículos e a mesma família do dono da Juventus Massimiliano Agnelli. A família Agnelli é dona da Juventus, da Fiat e de outras empresas relacionadas ao ramo automobilístico, assim, sendo grandes capitalistas dentro do monopólio automobilístico.

Sobre o “robô” português, como foi chamado pelos companheiros do programa futebolístico da Causa Operária TV, Zona do Agrião, por ser duro com as bolas nos pés se comparado aos craques brasileiros, teve sua multa rescisória reduzida de 1 bilhões de euros para meros 120 mihões (cerca de R$ 534 milhões) pelo Real Madrid. Essa diminuição “absurda”, gerou uma insatisfação gigantesca do “CR7” que abriu um processo de instabilidade e levando ao diálogo de transferência para a “Velha Senhora”.

Os valores estratosféricos de alguns supersalários são tão exagerados que os trabalhadores não conseguem mais ficar calados. Para dimensionar as quantias que alguns jogadores recebem, vamos utilizar como exemplo os dois jogadores mais “badalados” pela imprensa burguesa nos últimos anos do futebol mundial: Cristiano Ronaldo e Messi. Os dois dividem o primeiro lugar, com incríveis salários de 18,98 milhões de libras por ano, cerca de R$ 81 milhões/ano.

O tema dos altos salários também foi debatido nos programas Análise Política Semanal pelo companheiro Rui Costa Pimenta, Zona do Agrião e agora ao vivo na Reunião de Pauta, valendo conferir os argumentos que demonstram os porquês de os grandes capitalistas  pagarem tais salários.