Coxinhas pelo Genocidio.
Foi convocada uma assembleia coxinha que junta capitalistas e empresários para discutir como reverter a decisão do governo e levar as crianças as escolas presencialmente.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1_yr_4398-16584279
Protestos da Sinepe em setembro, a favor do genocidio da volta as aulas. | Foto: Yacy Ribeiro

Em Pernambuco, donos de escola particulares contemplam realizar uma nova onda de “protestos” contra o decreto de fechamento dos colégios durante a pandemia do covid 19, renovado até dia 31 de outubro, que proibi a volta as aulas presenciais para a educação infantil e ensino fundamental: “O Governo de Pernambuco, por meio do Gabinete de Enfrentamento à COVID-19, decidiu prorrogar até o dia 31 de outubro a suspensão das aulas presenciais do ensino fundamental e educação infantil”.

Nesta segunda feira (19), uma serie de estados brasileiros teve a volta as aulas presenciais para o ensino médio, uma medida genocida movida a interesses econômicos de banqueiros e capitalistas seguindo orientações econômicas do OCDE ( Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Foi convocada uma assembleia coxinha que junta capitalistas e empresários para discutir como reverter a decisão do governo e levar as crianças as escolas presencialmente em meio a pandemia que, no Brasil, já vê mais de 150 mil mortos deste março.

O argumento dos capitalistas, donos de redes de escolas privadas, constantemente alude a uma suposta queda da doença no estado: “Quando todos os indicadores da COVID-19 apontam para queda em Pernambuco, o governo divulga uma nota simplesmente informando a manutenção do decreto. sem justificar a decisão com questões técnicas ou científicas, o que mostra falta de argumentos. Nenhuma explicação. Os sentimentos são de frustração e incredulidade” inteira José Ricardo Diniz, o atual presidente da Sinepe (Sindicado dos Estabelecimentos de Ensino de Pernambuco). O Sindicato coxinha também realizou protestos a favor da medida impopular da volta as aulas no inicio de setembro.

A organização dos estudantes e professores contra a volta as aulas é a alternativa mais correta para se defender contra estes ataques da extrema-direita genocida contra o povo. É necessário que a esquerda, ao invés de cooptar como se a reabertura fosse incombatível, se proponham a lutar pela cessão do ano letivo em meio a pandemia.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas