Política genocida
Governo genocida Bolsonaro determina a volta ao trabalho presencial dos servidores do INSS sem as mínimas condições de segurança sanitária
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) entraram em greve por tempo indeterminado. Eles reivindicam reajuste salarial de 27,5% e melhores condições de trabalho (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
INSS | Marcelo Camargo

A direção golpista do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) determinou a volta de perícias agendadas para o último dia 14. Tal determinação vai totalmente na contramão da progressividade do contágio pelo coronavírus no país quando, devida a política genocida o governo ilegítimo Bolsonaro, já passam de 4,5 milhões de infectados com cerca de 150 mil mortos.

Com a determinação, a Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais (ANPM) determinou, logo de pronto, que os médicos não voltariam a fazer atendimentos presenciais sem que fossem adotadas todas as medidas de segurança. Em São Paulo nenhuma agência do INSS abriu as suas portas, o sindicato dos trabalhadores da previdências social (SINSSP) entrou com uma ação TRT obtendo a liminar suspendendo a determinação já que as medida de segurança necessárias para o retorno não foram minimamente atendidas. Segundo a determinação do tribunal, a reabertura das agências somente ocorrerá após vistorias e que seja apresentado um plano de retomada dos trabalhos com testagem para o coronavírus de todos os servidores do INSS no estado. Após a decisão a direção do Instituto diz que irá recorrer.

O ritmo acelerado de novos casos de infecção, assim como dos óbitos, registrados diariamente, aproxima o Brasil do trágico primeiro lugar no mundo, neste momento ainda liderado pelos Estados Unidos. Muitas mortes, dor e sofrimento poderiam ter sido evitadas se houvesse um mínimo de interesse por parte do poder público na adoção de medidas simples de enfrentamento e combate ao covid-19.

A medida de reabertura da agências do INSS revela, mais uma vez, a política genocida do governo federal fascista, que não faz absolutamente nada para combater a crise sanitária, não há testes, não há leitos de UTI suficientes, e nem uma política de isolamento social que beneficie todas as classes sociais, ao contrário disso o que se se vê é a política de beneficiar os grandes capitalistas e banqueiros com a abertura indiscriminada da economia, nem que para isso sejam ceifadas centenas de milhares de vidas. É um verdadeiro desprezo pela vida da população.

É a política que o governo federal, vem pregando desde o começo da pandemia, em que deveria reabrir tudo, de funcionamento “normal” da economia devido a pressão dos capitalistas que estão alarmados com a crise econômica em decorrência da crise sanitária.

 Os trabalhadores do INSS de todo o país devem seguir o exemplo dos servidores do estado de São Paulo e não voltar ao trabalho presencial até o fim da pandemia e enquanto não houver vacina, em defesa da vida dos servidores e da população, que logicamente corre um sério risco de morte caso as agências voltem a funcionar em plena crise do coronavírus.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas