“Gripezinha”
O cientista da Unicamp alerta que o coronavírus altera a estrutura do córtex cerebral, o que gera distúrbios como depressão, ansiedade e perda de memória.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
maxresdefault
Daniel Martins-de-Souza da Universidade Estadual de Campinas | TV Unicamp

O neurocientista Daniel Martins-de-Souza, do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), alerta que o coronavírus causa distúrbrios neurológicos até em pacientes com sintomas leves.

O vírus causa alterações na estrutura do córtex cerebral. A infecção afeta células cerebrais e suas funções. As pessoas infectadas podem ter problemas com depressão, perda de memória, ansiedade e  déficits cognitivos.

O córtex é a região mais complexa do cérebro. Ele está associado a funções como memória, linguagem, consciência,  linguagem, cognição e atenção.

O Brasil tem 7.753.752 casos confirmados e 196.561 óbitos em virtude da “gripezinha” de Jair Bolsonaro.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas