Futebol
Preocupados unicamente com o dinheiro que o futebol gera, dirigentes, cartolas, imprensa esportiva não dá a mínima para a vida dos atletas e demais profissionais
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
roberto-firmino egabriel-jesus - jogadores brasileiros no futebol inglês
Roberto Firmino e Gabriel Jesus no futebol inglês | Foto: Reuters

Desde quando voltou às competições de futebol pelo mundo, um grande número de jogadores, funcionários e comissão técnica contraíram coronavírus. A situação perdura até hoje, mesmo nessas condições os clubes as Federações de praticamente todos os pais continuam insistindo nessa teimosia, porem, a única preocupação é com o dinheiro que este esporte traz.

Esse é o caso do futebol inglês que, conforme artigos em várias imprensas esportivas vêm anunciando que, devido à situação da contaminação do coronavírus, o campeonato pode ser que seja interrompido.

Conforme o jornal o Estado de São Paulo, principal imprensa burguesia noticiou, no último sábado que “vários jogos de divisões menores no país tiveram de ser adiados nos últimos dias e também neste sábado por causa da grande quantidade de atletas infectados”.

O artigo relata que jogadores da Premier League foram contaminados pela doença nos últimos dias. Vários jogadores já tinham sido contaminados anteriormente. Os casos de covid-19 aumentaram 57% na Inglaterra na última semana. O atacante brasileiro Gabriel Jesus está nessa lista. Ele testou positivo na sexta-feira de Natal e ficará afastado do Manchester City por ao menos dez dias, assim como o zagueiro Walker. Segundo o governo britânico, quase 19 mil pessoas estão sob tratamento hospitalar contra a doença.

No país já estão sendo tomadas medidas mais restritivas de confinamento, com o fechamento do comércio não essencial e a proibição de reuniões em ambientes fechados com pessoas que não habitam a mesma casa.

O primeiro-ministro Boris Johnson disse que é um esforço para erradicar a cepa mutante do coronavírus que está se espalhando rapidamente por todo o país. Uma variante pode ser até 70% mais transmissível do que os versos anteriores do vírus, de acordo com o governo.

O futebol também será afetado

Nesse cenário, os tempos que disputam o Campeonato Inglês foram avisados da probabilidade de adiamentos de jogos nas próximas semanas, segundo o jornal Telegraph. Recentemente, o duelo entre Newcastle e Aston Villa foi postergado devido ao número de casos nas dependências do clube do norte da Inglaterra. A liga informou que já realizou nesta temporada mais de 24 mil testes de covid-19, com 111 resultados positivos (0,45%). (O Estado de São Paulo – 26/12/2020)

Mesmo em uma situação de pandemia, o futebol inglês, no início de dezembro havia liberado para que os torcedores pudessem assistir aos jogos, segundo o artigo, algo que não acontecia desde março, quando as partidas de futebol foram suspensas por causa da pandemia. Metade dos clubes da primeira divisão inglesa conseguiu inicialmente a liberação nível dois, que permite até dois mil fãs nas arquibancadas. Mas a partir deste sábado só Everton e Liverpool foram autorizados a receber a torcida em seus estádios.

A situação no Brasil

No Brasil, os grandes times que disputam o campeonato Brasileiro da série A também estão sofrendo com a pandemia, mas os organizadores, como a CBF, e as federações estaduais, bem como, a televisão, como a Rede Globo, além das grandes empresas esportivas que lucram enormemente e, por isso fazem uma campanha extraordinária para que as competições não parem, mesmo que os jogadores, funcionários, etc. venham a ser contaminados e mortos.

A posição de impor o futebol nos quatro cantos do mundo, bem como, no Brasil é tão somente com vistas aos vultosos valores que este esporte traz e nada mais.

A ganancia é tamanha que, em uma atitude bizarra no Brasil, onde a CBF se colocou como administradora das infecções do covid-19. Jogadores infectados foram liberados para jogar com o argumento de que estavam em fase final da infecção, onde não existia risco de transmissão. Além disso, jogadores já infectados foram liberados, pois segundo a entidade não podiam se infectar novamente, um verdadeiro “chute” sem qualquer respaldo científico.

Os jogadores e demais profissionais não podem contar com nenhum bom senso da parte dos patrocinadores, para proteger as próprias vidas e daqueles com quem convivem só contam com sua própria organização.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas