Menu da Rede

Dia 18, voltar às ruas por Fora Bolsonaro e todos os golpistas

cultura

Covas e a Cultura, uma relação impossível

Gestão tucana para a cultura foca em quantidade, sem um plano de desenvolvimento político e cultural para a população.

PSDB reduz o acesso da população periférica aos meios de formação e produção cultural. – Reprodução

Como representante maior da política neoliberal no Brasil, a gestão do PSDB para a cultura não teria como deixar de ter um teor claramente duvidoso.

Pois bem, Entre 2016, último ano da gestão Fernando Haddad (PT), e 2019, o orçamento  da pasta em São Paulo caiu de R$ 501 milhões para R$ 412,12 milhões.

Para além das cifras, artistas, produtores culturais e especialistas no tema criticam mudanças nas diretrizes da gestão da Secretaria Municipal. A gestão tucana da secretaria municipal de cultura em São Paulo, todas elas, se caracterizam basicamente pelo rompimento das estruturas de diálogo construídas na gestão do Partido dos Trabalhadores (PT) por meio do plano municipal de cultural, com o qual romperam.

O governo tucano da capital paulista, além da retirada de milhões de reais, e consequente redução da importância da Secretaria Municipal de Cultura no conjunto do orçamento da prefeitura, diminuiu o alcance de programas com décadas de história e investiu contra vários espaços culturais que estavam sob gestão de grupos independentes. Dentre os programas de cultura oferecidos pela prefeitura o Piá e Vocacional, por exemplo, que atendiam 8 mil crianças, passaram a atender apenas 4 mil. O programa de Valorização das Iniciativas Culturais (VAI) teve redução de R$ 2,4 milhões e o número de projetos contemplados caiu de 230, em 2016, para 153, em 2017.

Importante chamar a atenção também, para o fato de que o governo tucano tem como foco a realização de eventos com grande repercussão. Isso, por vezes, pode causar a impressão de que exista um grande esforço e investimento por parte desta gestão voltados para o segmento cultural. Porém, como aponta Andressa Souza, produtora cultural que atua no Campo Limpo e integra o Fórum de Culturas Zona Sul e Sudeste “É muito mais difícil emplacar uma política estrutural do que fazer um grande festival, e aí conseguir patrocínio. Não importam os processos, a transformação, o dia a dia: importa a quantidade. Aí, o espaço periférico fica menos assistido(…)”.

MC Who acrescenta que iniciativas com menos repercussão midiática foram deixadas de lado. “Um exemplo é o Mês do Hip Hop, que chegou a contemplar 1,8 mil artistas, focado em formação, com oficinas, ensaios, para quem quer se apresentar. Era uma porta de entrada, e hoje contempla no máximo 500 artistas, deixando de fora grandes articuladores dos extremos da cidade.”  

Gestão da cultura em São Paulo durante a pandemia

Com edital lançado em agosto do ano passado, a Lei Aldir Blanc buscava socorrer os trabalhadores da cultura que perderam sua fonte de renda durante a pandemia. Para Americo Córdula, ator e ex-secretário de políticas culturais do Ministério da Cultura e um dos  elaboradores da lei:“(…) venderam como se edital fosse mérito da Secretaria Municipal de Cultura, quando na verdade eles não colocaram um tostão.”

Segundo MC Who:“Ficou muita gente de fora”. “Primeiro, não teve busca ativa. Faltou um mapeamento das ‘quebradas’, para identificar o praticante de cultura que é excluído digitalmente”.conclui o rapper.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.