Corte de salário: parlamentares petistas estão sendo punidos por participaram da caravana de Lula

O presidente da Câmara dos Deputados, o golpista Rodrigo Maia, ameaçou cortar o salário dos parlamentares que faltarem às sessões para acompanhar o presidente Lula em sua caravana pelo país. Mais um ato de perseguição dessa direita reacionária contra a mobilização popular da esquerda.

A ameaça no corte de pontos não é contra os “parlamentares faltosos”, mas sim contra os parlamentares que estão acompanhando a caravana do Lula. O mesmo aconteceu no ano passado, quando o golpista Rodrigo Maia ameaçou cortar o ponto de deputados que faltaram às sessões da Câmara para comparecerem ao movimento de apoio a Lula quando este foi depor em Curitiba.

O mesmo posicionamento reacionário também está presente na casa ao lado, no Senado Federal. Movimentos fascistas de direita estão exigindo que o corte do ponto da parlamentar petista, Gleisi Hoffmann, por estar acompanhando ativamente a caravana do Lula. Porém, é importante lembrar a esses raivosos da direita que a falta de parlamentares tanto na Câmara quanto no Senado é geral, não é algo restrito ao Partido dos Trabalhadores.

Rodrigo Maia não ameaçou de cortar o ponto de Jair Bolsonaro e seus sucessores, que estão em viagem pelo país promovendo movimentações fascistas. Tampouco ameaçou os deputados que mais faltaram no ano de 2017 às sessões da Câmara (detalhe, nenhum era do Partido dos Trabalhadores).

A perseguição está clara. A única arma dos trabalhadores para barrar essa ofensiva direitista, impedir a prisão de Lula e derrotar o golpe é a mobilização nas ruas. Já está mais que provado que os golpistas farão o possível para atacar qualquer tentativa de mobilização dos trabalhadores.