Cortes CNPq
Corte de bolsas do CNPq ameaça pesquisa contra dengue na UFMG
cnpq_pesquisa_ciencia-300x158
Cortes CNPq
Corte de bolsas do CNPq ameaça pesquisa contra dengue na UFMG
cnpq_pesquisa_ciencia-300x158

Na quinta-feira (15), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que tem por objetivo incentivar a formação de pesquisadores no Brasil e fomentar a pesquisa científica e tecnológica, divulgou uma nota em que suspende a indicação de novos bolsistas por causa dos cortes no orçamento. Com esta medida, aproximadamente 4.500 bolsas ficarão indisponíveis. Por causa desse corte de bolsas, uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) que estuda a transmissão do vírus da dengue pode ser interrompida.

O Ministério da Saúde informa que o número de mortes por dengue triplicou no Brasil durante o governo Bolsonaro. Foram 414 óbitos. O Estado mais afetado pela dengue foi Minas Gerais. A cada 100 mil habitantes, quase dois mil casos foram registrados.

De acordo com o professor João Trindade Marques, do Departamento de Bioquímica e Imunologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), da UFMG, dos 14 estudantes que trabalham no laboratório, oito são remunerados com uma bolsa de dedicação exclusiva. “São dez anos de pesquisa. E as possibilidades são imensas. Chegamos a um estágio importante e tudo isso pode acabar no mês que vem. É uma tragédia”, afirma.

A partir do próximo mês, essa tragédia pode atingir não apenas os pesquisadores do Instituto de Ciências Biológicas, da UFMG. Existe a possibilidade de mais de 80 mil pesquisadores em todo o País perderem as suas bolsas que, em muitos casos, representa sua única fonte de renda, pois muitas pesquisas exigem dedicação exclusiva. Para que isso não aconteça, é necessário que o CNPq sane, imediatamente, um déficit no orçamento de R$330 milhões.

Em entrevista concedida ao Jornal da USP, João Luiz Filgueiras de Azevedo, presidente do CNPq, afirma: “Vamos pagar as bolsas de agosto normalmente, mas, de setembro em diante não tem como pagar mais nada. A folha de agosto, essencialmente, zera o nosso orçamento”.

Essa negligência do governo Bolsonaro, que recusa repassar os recursos necessários ao CNPq, evidencia a sua falta de preocupação em relação à saúde pública, à educação e à Ciência e Tecnologia. Por esses e outros motivos, é importante que existam manifestações populares em todo o Brasil com o intuito de derrubar esse governo. Fora Bolsonaro!