Coronel da PM declara guerra no Rio com a população como alvo

xbrazil-violence-favela.jpg.pagespeed.ic.YpWiDLyBuS

Após o assassinato de um oficial da PM no Rio de Janeiro, o coronel Marcos Netto convocou os policiais da cidade para uma “guerra sem trégua”, em uma mensagem vazada do WhatsApp. Logos após o homicídio, a policia invadiu a Cidade de Deus e executou quatro “suspeitos”.

A operação, além das mortes, resultou em transtornos na cidade e chegou a fechar a Linha Amarela, importante via do Rio, onde cidadãos comuns ficaram presos no meio do fogo cruzado.

Esse episódio, mais um de milhares, mostra mais uma vez como a PM age exatamente como uma gangue. As operações são realizadas sempre em retaliação por alguma morte ou agressão às forças de repressão e, sempre deixam um rastro de sangue de inocentes.

É bom lembrar também que no Brasil nenhum policial tem o poder de ser também promotor, juiz e executor. A pena de morte não existe em nosso país, mas mesmo assim os policiais e soldados entram nas periferias e usam sua violência brutal contra a população.

E enquanto os policiais fingem que estão em um filme de ação do Charles Bronson, os cariocas se vêem em pânico, em meio ao constante fogo cruzado das balas de fuzil dos agentes da repressão, servindo de alvos para balas perdidas de alto calibre dos militares.