Início da pandemia na Europa
Estudo do Instituto Superior de Saúde da Itália revela que o coronavírus foi detectado nas águas dos esgotos no norte da Itália bem antes do primeiro caso oficial.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Codogno, Itália.
Ruas da pequena Codogno, no norte da Itália, local do primeiro caso em 20/02. | Foto por: Carlo Cozzoli/IPA Agency/Maxppp

Em estudo, divulgado pelo Instituto Superior de Saúde da Itália nesta quinta (18), pesquisadores informam que amostras de água coletadas na rede de esgoto de Milão e Turim, em dezembro último, foi possível detectar a presença do vírus SARS-Cov-2, causador da COVID-19.

O estudo, dirigido por Giuseppina La Rosa, chefe do Departamento de Qualidade da Água e Saúde em colaboração com Elisabetta Suffredini do Departamento de Segurança Alimentar, Nutrição e Saúde Pública Veterinária, examinou cerca de 40 amostras coletadas entre outubro de 2019 e fevereiro de 2020, confirmaram por testes em dois laboratórios diferentes a presença de RNA do SARS-Cov-2 em amostras colhidas em Milão e Turim em 18 de dezembro e em Bolonha em 29 de Janeiro.

A Itália teve o primeiro caso, oficialmente confirmado, da COVID-19 em 20 de fevereiro na cidade de Codogno, norte do país, que fica a 60 Km de Milão e a 100 Km de Bérgamo, principais focos da pandemia no país.

Os resultados do estudo contrariam a cronologia que vem sendo aceita pela comunidade científica da Europa para o início da pandemia no continente.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas