Sem testes a população morrerá
O governo municipal não registrou nenhum caso, o que revela a política de descaso total da direita golpista
funeraria
(foto: Jackson Romanelli/EM/D.A Press) |
funeraria
(foto: Jackson Romanelli/EM/D.A Press) |

Da redação – Uma funerária de Belo Horizonte totalizou na noite deste domingo (23) um número incrivelmente grande de cadáveres que deram entrada, totalizando 73 cadáveres entre a sexta-feira (20) e domingo. Os laudos revelaram que pelo menos 23 corpos tiveram como causa da morte problemas respiratórios graves, como “insuficiência respiratória aguda”, “pneumonia crônica” e “pneumonia aspirativa”, sintomas do novo coronavírus. No entanto, dados do governo não citam mortos por Covid-19 no estado.

Um boletim de ocorrência policial, demonstrou que os policiais receberam uma denúncia anônima que a funerária havia recebido 41 corpos em 48 horas. A denúncia era de que havia uma aglomeração excessiva no local e ao chegar na funerária, confirmaram a informação. 

O gerente do estabelecimento, Sérgio José da Silva, de 56 anos, confirmou que o local nunca recebeu essa quantidade de corpos em tão pouco tempo, e afirmou ainda, ser um fato atípico em 30 anos de carreira. “Sim, recebemos muitos corpos desde sexta. Dobrou (a quantidade) por conta das mortes por insuficiência respiratória”, declarou o funcionário.

Este caso que aparece na primeira semana de confinamento da população, revela a gravidade da política da extrema direita golpista de não aplicar testes em toda a população. O descontrole completo da quantidade de casos, levará o país para uma calamidade pública, podendo acarretar milhões de mortes caso Bolsonaro não seja derrubado imediatamente e o povo tome as rédeas no processo.

Relacionadas
Send this to a friend